31 de mar de 2009

Aeroporto de Cabo Frio começa a receber aviões cargueiros vindos de Miami





O Aeroporto Internacional de Cabo Frio, na Região dos Lagos, começa a receber, a partir desta segunda-feira, voos cargueiros semanais vindos de Miami, nos Estados Unidos, pela companhia Centurion. Por ter uma posição estratégica, o Terminal de Cargas (TECA) de Cabo Frio serve como base logística para empresas que exploram petróleo e gás nas bacias de Campos, no Norte Fluminense, e Santos, em São Paulo. Anteriormente, esse voo chegava ao Brasil via São Paulo.
Os transtornos do trânsito em São Paulo e no Rio estão atraindo as empresas para o aeroporto de Cabo Frio
Segundo o Secretário de Desenvolvimento de Cabo Frio, Carlos Victor Mendes, o Aeroporto Internacional de Cabo Frio possui a segunda maior pista de pouso do estado e é considerada pelas autoridades aeronáuticas como uma das mais seguras do país.

- A nova rota de transporte de carga aérea Miami-Cabo Frio vem mais uma vez demonstrar que valeram os esforços na ampliação das dimensões da pista do aeroporto, que está em condições de receber qualquer tipo de aeronave. A diminuição de custos com o transporte rodoviário e os transtornos do trânsito em São Paulo e no Rio estão atraindo as empresas para o aeroporto de Cabo Frio - disse o secretário.

Somente neste primeiro voo, serão transportadas cerca de 65 toneladas de equipamentos, com valor estimado em US$ 5 milhões. No próprio terminal, ainda acontecerá todo o processo de "desembaraço" da carga, realizado pela Polícia Federal. A movimentação do TECA, que até então só recebia voos cargueiros fretados, responde por 95% da receita média mensal do aeroporto, único sob administração privada com terminais deste tipo no país.
A operadora Costa do Sol, que administra o aeroporto, está investindo R$ 10 milhões para duplicar, até meados de 2009, a área de armazenagem de 45 mil metros quadrados.

Landing on the river

TAM anuncia prejuízo de R$ 1,3 bilhão em 2008



Perdas causadas pela desvalorização do real e a demanda em retração no fim do ano passado afetaram os resultados da TAM em 2008. Nesta segunda-feira (30/03) à noite, a companhia aérea divulgou que registrou prejuízo líquido da ordem de R$ 1,3 bilhão, valor semelhante ao apurado pela sua principal rival no mercado brasileiro, a Gol.

Os últimos três meses do ano passado, com custos em alta e sob o impacto da crise financeira mundial, puxaram os resultados da TAM para baixo. Apenas no período de outubro a dezembro de 2008, a TAM teve prejuízo de R$ 1,123 bilhão. Em igual período de 2007, a empresa havia registrado lucro de R$ 118,5 milhões.

Em comunicado distribuído ao mercado, a TAM atribuiu esse desempenho principalmente em razão de "perdas com operação de hedge de combustível e da depreciação do real" ante o dólar. O querosene de aviação representa praticamente um terços dos custos das companhias aéreas.

Mercado em descompasso

O relatório da TAM destaca descompasso entre a evolução da demanda, que cresceu apenas 0,3% no quarto trimestre do ano passado em relação a igual período de 2007, e a da oferta, que aumentou 10,2%. Com isso, a taxa de ocupação das aeronaves ficou em 63,7%. Nos últimos três meses do ano anterior, haviam sido 70,4%.

O mercado internacional, ainda segundo o comunicado da TAM, apresentou crescimento na demanda de 0,9% e de 4,5% na oferta das companhias aéreas brasileiras. Com isso, a taxa de ocupação baixou de 70,9% para 68,5%, quando se comparam os números dos últimos trimestres de 2007 e 2008, respectivamente.

Para 2009, a TAM prevê que o ritmo de crescimento do mercado vá diminuir. Em vez da faixa de 5% a 9%, a demanda deve se acomodar na faixa de 1% a 5%.

28 de mar de 2009

C-130 Hércules FAB



Hércules, a aeronave cargueiro militar, ele faz missões para Antártica, selva Amazônica, reabastecimento em voo, saltos de para-quedistas ajuda a sobreviventes de desastres naturai), ONU e levando alimentos para refugiados no mundo inteiro, com meio século de história.
Com Virtual Cockpit, porta móvel do compartimento de carga que fica na parte de trás do avião e com texturas do Esquadrão Gordo, Missão de resgate e busca SAR, camuflada, cinza e 30 anos do Hércules na FAB.

Para o FSX e FS2004!

CLIQUE

26 de mar de 2009

Parte da turbina de avião cai e danifica casas em Manaus



Segundo a polícia, 11 imóveis foram atingidos por peças de aeronave.
Ninguém ficou ferido. Avião teria seguido para Colômbia.

Parte de uma turbina e peças da fuselagem de um avião caíram e atingiram pelo menos 11 casas em uma rua do bairro Terra Nova 2, em Manaus, na madrugada desta quinta-feira (26). Segundo a Polícia Militar, moradores relataram que ouviram uma explosão e, em seguida, viram peças de metal caindo do céu. Um imóvel teve a cozinha e a sala atingidas. Ninguém ficou ferido. A área foi isolada.
As primeiras informações recebidas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) dão conta de que o avião era um cargueiro, que saiu do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na capital do Amazonas, em direção a Bogotá, na Colômbia.

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) diz que essa aeronave teria partido por volta da 1h45 (horário local).

Caça da Força Aérea americana cai no deserto da Califórnia



"Um F-22 da Força Aérea caiu por volta das 10H00 da manhã (17H00 GMT), a aproximadamente 35 milhas (pouco mais de 56 km) a norte da base aérea Edwards, na Califórnia", indicou o porta-voz Richard Johnson.
Segundo Johnson, o jato havia decolado da base aérea Edwards para uma missão de testes. "Havia um piloto a bordo. Sua situação é desconhecida", acrescentou.
comunicado, a Força Aérea informou que este é o segundo acidente envolvendo um F-22, construído pela fábrica americana Lockheed Martin.

"O primeiro (acidente) ocorreu durante o processo de testes e avaliação da aeronave, em dezembro de 2004, também em Edwards, no qual o piloto conseguiu se ejetar", explicou.
O projeto do F-22, concebido durante a Guerra Fria, é criticado por não se adaptar muito bem ao tipo de necessidade das forças armadas americanas no Afeganistão e no Iraque, mas é hoje o mais caro jato da Força Aérea, chegando a custar US$ 150 milhões.

Força Aérea do Paquistão recebe Phenom 100



A Embraer entregou o primeiro jato Phenom 100 à Força Aérea do Paquistão. O governo paquistanês adquiriu um total de quatro aeronaves desse modelo, a serem utilizadas para o transporte de autoridades daquele país.
Esta encomenda já está incluída na carteira de pedidos firmes a entregar da Embraer referente ao quarto
trimestre de 2008.

“É uma honra para a Embraer ter a confiança do Governo do Paquistão para operar nossos produtos”, disse Orlando José Ferreira Neto, Vice-Presidente Executivo da Embraer para o
Mercado de Defesa e Governo. “O Phenom 100 é uma excelente aeronave que atende aos mais variados requisitos de transporte e, seguindo o caminho aberto pela Força Aérea do Paquistão no
mercado internacional, percebemos crescente interesse por este modelo em várias outras regiões.”
Esta é a primeira aeronave da Embraer entregue para um cliente no Paquistão e também o primeiro Phenom 100 a ser operado por um governo. A Força Aérea do país optou pelo
modelo após uma análise detalhada, que levou em consideração aspectos como desempenho, conforto, tecnologia, preço de aquisição e custo operacional, entre outros.
O jato Phenom 100 tem capacidade para até oito ocupantes. Com alcance de 2.182 km (1.178 milhas náuticas), incluindo reservas de combustível NBAA IFR, é capaz de voar de São Paulo
para Montevidéu (Uruguai) ou de Islamabad (Paquistão) para Karachi (Paquistão) ou Katmandu (Nepal) sem escalas. O jato foi certificado em dezembro de 2008 e confirmou ser o
mais rápido e com a maior capacidade de bagagem da sua categoria. O Phenom 100 tem uma avançada cabine de pilotagem e possui um lavatório traseiro privativo como alguns de seus
diferenciais competitivos.

25 de mar de 2009

Gol começa a operar novas linhas no Santos Dumont a partir de 22 de abril



A Gol, segunda maior companhia aérea do país, começará a operar vôos regionais a partir do aeroporto Santos Dumont em 22 de abril, anunciou nesta segunda-feira o presidente da empresa, Constantino de Oliveira Júnior.

Com 16 autorizações para pousos e decolagens diárias já aprovadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Gol avalia ainda as cidades que serão atendidas a partir do Santos Dumont. Os destinos mais prováveis são Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Campinas e Vitória. A idéia, disse Constantino Jr, é ter pelo menos três vôos por dia atendendo esses destinos, mas nem todos estão garantidos.

- Não necessariamente vamos atender todos esses mercados - disse, explicando que para Brasília, poderão ser até seis vôos.

A maior parte dos novos destinos que a empresa terá partindo do aeroporto central do Rio, além dos 26 da ponte-aérea para São Paulo, será remanejada do Galeão.

Na semana passada, em meio a uma disputa jurídica e sob pena de multa, a Azul fez seu vôo inaugural entre Campinas e o aeroporto Santos Dumont.
Tarifa mais caras este ano
Dadas as expectativas pouco animadoras para o PIB do país para 2009, o presidente da Gol afirmou que as tarifas aéreas não têm muito espaço deverão subir este ano.

- Dificilmente teremos tarifas mais altas este ano. No último trimestre do ano passado, as tarifas da Gol estavam 23,8% mais caras que um ano antes, com valor médio de R$ 266 por bilhete. A empresa também reviu suas projeções para crescimento do mercado de aviação este ano, antes de 6%, para algo entre 2% e 4%.

Depois de registrar prejuízo de R$ 687 milhões entre outubro e dezembro, e fechar o ano com perda líquida acumulada de R$ 1,3 bilhão - o primeiro prejuízo desde sua fundação, em 2001 -, a Gol anunciou ainda no final de semana uma operação de aumento de capital no valor de R$ 203,5 milhões, com a emissão de 26,1 milhões de ações

- Estamos no trilho da lucratividade - disse o diretor Financeiro da Gol, Leonardo Pereira, ressaltando que a empresa operacionalmente obteve lucro no último trimestre de 2008.

O resultado foi afetado negativamente por perdas financeiras, da ordem R$ 700,6 milhões, decorrentes da valorização do câmbio sobre as dívidas da companhia, cuja maior parte é em dólares.

24 de mar de 2009

Iata: empresas aéreas vão perder US$ 4,7 bi em 2009




A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) aumentou sua estimativa para os prejuízos combinados das empresas do setor neste ano para US$ 4,7 bilhões, quase o dobro dos US$ 2,5 bilhões previstos em dezembro do ano passado.

Em reflexo à deterioração da economia global, a entidade prevê que a receita das companhias aéreas deverá diminuir US$ 62 bilhões, para US$ 467 bilhões, recuo maior que o do período pós-atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. Entre 2000 e 2002, a receita das empresas recuou US$ 23 bilhões.

A Iata, que representa 230 companhias aéreas ou 93% do tráfego aéreo global, disse que a demanda no transporte de passageiros deverá cair 5,7% este ano, enquanto a demanda no segmento de cargas deverá recuar 13%. Ambas as estimativas são piores que as divulgadas em dezembro de 2008, quando a entidade estimava quedas de 3% e 5% no transporte de passageiros e de cargas, respectivamente. Segundo a Iata, as companhias não conseguirão reduzir a capacidade a uma taxa similar à queda na demanda.

Para o diretor-geral e executivo-chefe da Iata, Giovanni Bisignani, a queda dos preços do combustível desde seu pico, em julho do ano passado, ajuda a limitar as perdas. Contudo, "o alívio representado pela queda dos preços dos combustíveis será ofuscado pela queda na demanda e da receita. A indústria está sob cuidados intensivos e enfrenta dois desafios imediatos: a conservação de caixa e o alinhamento da capacidade com a demanda", afirmou

Regiões

As empresas da região Pacífico-Ásia continuarão a ser as mais afetadas pela crise e deverão registrar prejuízos combinados de US$ 1,7 bilhão. Na China, a demanda por viagens internacionais deverá recuar entre 5% e 10%. No Oriente Médio, apesar do aumento estimado de 1,2% na demanda, as empresas terão prejuízo de US$ 900 milhões por conta da expansão de capacidade mais rápida que a da demanda.

Na América do Norte, as companhias deverão ter melhor performance que no resto do mundo por terem diminuído a capacidade de transporte desde o início da crise. Essas empresas também estão menos atadas a contratos de proteção (hedge) de combustível. Como resultado, devem registrar um lucro conjunto de US$ 100 milhões, apesar da queda de 7,5% na demanda.

Na Europa, a demanda deverá recuar 6,5%. A Iata disse que os cortes na capacidade das empresas da região não serão suficientes e elas deverão registrar um prejuízo combinado de US$ 1 bilhão.

As companhias africanas deverão ter prejuízos de US$ 600 milhões por causa da perda de participação de mercado para empresas concorrentes nas rotas de longa distância.

23 de mar de 2009

bounced landing





METAR NA HORA DO POUSO
RJAA 222238Z 30019G32KT 9999 FEW030 12/M03 Q1002 WS R34R RMK 1CU030 A2959

Prefixo PU-IAM



TEIXEIRA DE FREITAS - Duas pessoas morreram após a queda de um momonomotor, na tarde deste domingo (22) em Teixeira de Freitas, extremo Sul do Estado.

O empresário Gustavo Macedo Albernase, 37 anos, conhecido no município por “Gustavo da GF Florestais”, sobrevoava a cidade Teixeira de Freitas, ao lado do instrutor de voo, de prenome Felipe, no momento do acidente. Ambos morreram no local.

Segundo populares, o avião caiu de bico por volta das 16h30, a 600 metros da cabeceira do aeroporto da cidade, logo após o avião ter decolado.

Era o terceiro final de semana que Gustavo e um grupo de amigos da cidade faziam o treinamento.
Na última aula deste domingo (22), era vez do empresário Gustavo pilotar o monomotor.
De acordo com agentes da delegacia de Teixeira de Freitas, peritos policiais e equipe do Cenipa - Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, analisaram materiais para identificar a causa do acidente.

Devido a falta de iluminação, a perícia será retomada nesta segunda-feira (23). O local do acidente está sob fiscalização da Guarda Florestal.

Segundo amigos do empresário, que era diretor presidente da empresa GF Comércio e Resíduos Florestais Ltda e acionista de uma revendedora de caminhões em Teixeira de Freitas, ele negociava a compra de um avião, por isso, teria passado o domingo fazendo treinamento.

21 de mar de 2009

Prejuízo da GOL supera R$ 1 bilhão




A GOL teve prejuízo líquido de R$ 1,3 bilhão e resultado operacional negativo de R$ 88 milhões em 2008, segundo a Folha apurou. Apesar disso, a companhia aérea informa ter revertido as perdas com a operação no último trimestre do ano, quando teve lucro operacional de R$ 54 milhões.
O prejuízo no quarto trimestre, no entanto, foi de R$ 680 milhões, causado sobretudo pela desvalorização cambial sobre a dívida da empresa e por perdas com operações financeiras de proteção a oscilações cambiais, ligadas a combustível de aviação. O prejuízo é apenas contábil e não reflete o resultado operacional, diz a GOL.

A crise chegou aos resultados das companhias aéreas no fim do ano sob dois aspectos: demanda mais fraca e dólar mais caro. Para evitar que os aviões decolem mais vazios neste ano, o presidente da GOL, Constantino de Oliveira Júnior, afirmou nesta semana que as companhias deverão oferecer preços mais baixos. Ele admitiu que 2009 será um ano difícil para fechar as contas.

Nos últimos meses, o aspecto mais favorável para as empresas foi a queda no preço do petróleo. O combustível representa quase um terço dos custos de uma companhia aérea.

Este foi o primeiro trimestre de divulgação de resultados depois da fusão efetiva entre GOL e Varig. A reversão do resultado operacional foi encarada como positiva na empresa. A diretoria diz que não haverá demissões.

A companhia informou ainda que será feita uma capitalização da empresa de R$ 200 milhões, por meio de emissão privada de ações. Donos de 75% das ações, os controladores farão aporte proporcional e os minoritários entrarão com a diferença.

O objetivo da capitalização será fortalecer a estrutura de capital da companhia para fazer frente aos investimentos programados para 2009 e 2010.

A recuperação operacional no quarto trimestre já era esperada por analistas. "O resultado operacional mais forte no fim do ano reflete a queda do preço do petróleo, e a companhia se desfez de alguns contratos de "hedge" de petróleo, o que também ajuda. Além disso, ao longo do ano, a empresa mudou sua estratégia, unificou operações e revisou as rotas que pretende operar, o que aumentou a eficiência", afirma Kelly Trentin, analista da SLW Corretora.

Para Paulo Bittencourt Sampaio, consultor em aviação, a empresa tem enfrentado dificuldades referentes à devolução de Boeings-767, além de contar com taxa de ocupação baixa nos voos internacionais.

Web



Segundo “carfer”, do Contato Radar, as aeronaves da Webjet receberão um toque de classe na pintura, passando do basicão branco e verde, pro básico branco e verde. Segue uma possível pintura para a companhia, segundo a fonte, essa pintura quem mandou foi a própria companhia. Segue o link para que possa conferir a nova pintura.

20 de mar de 2009

INFINITE DREAMS



Infinite Dreams I can't deny them
Infinity is hard to comprehend
I couldn't hear those screams
Even in my wildest dreams

Suffocation waking in a sweat
Scared to fall asleep again
Incase the dream begins again
Someone chasing I cannot move
Standing rigid nightmare's statue
What a dream when will it end
And will I transcend?

Restless sleep the minds in turmoil
One nightmare ends another fertile
Getting to me so scared to sleep
But scared to wake now, in too deep

Even though its reached new heights
I rather like the restless nights
It makes me wonder it makes me think
There's more to this I'm on the brink
It's not the fear of what's beyond
It's just that I might not respond
I have an interest almost craving
But would I like to get too far in?

It can't be all coincidence
Too many things are evident
You tell me you're an unbeliever
Spiritualist? Well me I'm neither
But wouldn't you like to know
The truth
Of what's out there to have the proof
And find out just which side
You're on
Where would you end in Heaven or
In Hell?

Help me. Help me to find my true
Self without seeing the future
Save me, save me from torturing
Myself even within my dreams

There's got to be just more to it
Than this
Or tell me why do we exist
I'd like to think that when I die
I'd get a chance another time
And to return and live again
Reincarnate, play the game
Again and again and again

19 de mar de 2009

Iata e Snea querem revisão do preço do QAV



O Snea e a Iata querem que o preço cobrado pelo querosene de aviação (QAV) no Brasil seja revisto. Segundo o presidente do Snea, José Marcio Mollo, o combustível representa cerca de 35% dos custos das empresas aéreas e no Brasil é onde se cobra mais caro por ele, citando dados da Iata.

De acordo com o dirigente, a Petrobrás produz entre 85% e 90% do QAV no território nacional, mas calcula o preço a partir do preço do Golfo do México, “que é uma comodity”. “Até aí tudo bem, o problema é que sobre esse preço a empresa embute taxas de transporte e frete como se estivesse importando o produto”, disse Mollo.

O dirigente afirmou que as entidades vão lutar pela mudança do cálculo do QAV. “A Iata elegeu essa luta como bandeira em 2009”, afirmou. Ainda de acordo com ele, só para se ter uma déia, segundo cálculos da Iata, se o preço do QAV fosse reduzido R$ 0,15, a economia para as companhias aéreas seria de quase R$ 300 milhões.

Trip receberá jatos da Embraer em ABRIL e voará Bonito-Campo Grande



O presidente da Trip Linhas Aéreas José Mário Caprioli confirma que receberá no próximo dia 16 de abril, quatro aeronaves Embraer 175 encomendadas pela companhia. Os jatos tem capacidade para 86 lugares. Caprioli reiterou a intenção da empresa em ampliar sua presença no mercado nacional, com atendimento a 80 destinos. No próximo dia 5 de abril, deverá começar a voar entre Campo Grande e Bonito, no Mato Grosso do Sul. No último dia 16, teve início a operação da rota entre Salvador e Petrolina em Pernambuco. Para 25 de abril, a previsão é de que tenha início a rota Salvador a Lençóis na Chapada Diamantina.



A frota da empresa, conta atualmente com 20 aeronaves entre elas os ATR´s 42 e ATR's 72, com capacidade para 50 e 70 lugares respectivamente.


Sobre a discussão do mapa aéreo brasileiro, o presidente da mais importante companhia regional é taxativo: " É preciso quebrar paradigmas. No Brasil temos cerca de 200 mil pessoas andando de ônibus em distâncias que deveriam ser inseridas no sistema aéreo.Eu percebo que tem pouca gente discutindo como vamos criar um sistema aéreo mais eficiente."


AVIAÇÃO REGIONAL É O CANAL!!!

18 de mar de 2009

Avião de Lula tem nova pane ao tentar aterrissar em Brasília


Boeing 737 da FAB sofreu problemas no flap em um intervalo inferior a 24 horas de outro incidente


O avião que trazia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva dos EUA para Brasília, um boeing 737 da Força Aérea Brasileira (FAB), teve problemas ao aterrissar na base aérea da capital, na madrugada desta terça-feira, segundo a FAB.

A aeronave do presidente teve problemas no flap, equipamento usado para garantir a estabilidade de voo e ajudar no pouso. O comandante optou por manter o plano de voo, mas o pouso foi um pouco mais brusco do que seria normalmente.

A FAB diz que os pilotos têm treinamento para pousar nestas condições. Se houvesse risco, o procedimento seria abortado, conforme a Força Aérea.

Em um intervalo inferior a 24 horas, Lula enfrentou problemas em duas aeronaves. Nos EUA, ele foi impedido de voltar no Airbus 319, o Aerolula, porque a equipe de solo do aeroporto provocou danos à porta traseira do avião com a escada de desembarque. O acidente obrigou o presidente a usar o boeing da FAB.

17 de mar de 2009

Tropical Sim - Cuiabá




Cenário completo da cidade de Cuiabá, incluindo o detalhado aeroporto Marechal Rondon (SBCY).

Clique

A320 mergulhão sendo rebocado....





Gratidão a Deus


Quando a sombra da tristeza cobrir seus sonhos de ventura;
Quando você quiser chorar diante da taça da amargura;
Quando a dor bater à porta ferindo bem fundo o coração;
Quando a esperança é morta e a vida amarga ilusão;

Olhe para trás, veja quanta dor, súplicas de paz clamando amor!
Olhos sempre em trevas, mãos mendigam pão,
Bocas que não falam e risos sem razão...
Deixe de chorar, volte a sorrir, você é tão feliz, volte a cantar!
Faça uma prece, seja grato a Deus! Ele sempre abençoa os filhos seus...

TAM lança Festival de Massas no serviço de bordo




A TAM Linhas Aéreas iniciou hoje o Festival de Massas, que vai até 15 de maio, oferecendo seis opções de cardápios em voos da Super Ponte - que partem do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para Rio de Janeiro (Santos Dumont), Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Belo Horizonte (Confins) - no horário do almoço, entre 11h31 e 14h30.



A ação é uma parceria com a Hypermarcas, que produz os molhos Salsaretti, em cinco sabores: clássico, basílico (manjericão), ricota, funghi e oliva. Cada base terá um cardápio distinto, com destaque para massas como panzotti arlecchino de ricota com espinafre ao basílico; tortei de moranga ao molho clássico e rondeli de chester e mussarela ao funghi. Os passageiros também receberão porções individuais de queijo ralado para acompanhar o prato.

Para o festival, foram desenvolvidos forros de mesa e caixinhas exclusivos, além de folhetos que comunicam a parceria TAM-Hypermarcas. Essa é a segunda novidade no serviço de bordo dos voos da Super Ponte no ano. Desde o dia 20 de fevereiro, a companhia distribui picolés Nestlé da linha LaFrutta, numa ação que se prolongará até 30 de abril. O serviço de bordo internacional também mudou em janeiro, com o cardápio "Brasil a Bordo", inspirado na rica culinária brasileira.

Essas iniciativas fazem parte do objetivo da companhia de oferecer excelência em serviços, um dos três pilares de atuação da TAM, junto com a excelência técnico-operacional e a excelência em gestão.

16 de mar de 2009

Pane em avião da TAM ainda repercute




As explicações da TAM Linhas Aéreas ainda não foram capazes de convencer os 97 passageiros do vôo JJ 3871, Belém- Marabá-Brasília, que passaram por um verdadeiro sufoco na tarde desta quarta-feira (11), quando a aeronave apresentou pane no trem de pouso no momento de aterrissar em Marabá. Na manhã de ontem (12), os últimos passageiros do vôo que ainda não tinham conseguido seguir viagem finalmente foram acomodados em outro vôo com destino a Brasília.

O avião que apresentou problema seguiu direto para a manutenção depois de aterrissagem forçada. Em nota à Imprensa, a TAM explicou que o comandante da aeronave, durante os procedimentos para aterrissagem no Aeroporto de Marabá, percebeu uma indicação técnica no painel do avião, indicando a falha mecânica. Diante disso, ele teve de arremeter, o que é considerado procedimento comum nesse tipo de situação, justamente para garantir a segurança dos passageiros e tripulantes.

Mas o pânico entre os passageiros foi total, conforme explicou o secretário municipal de Cultura de Marabá, Melquíades Justiniano da Silva, que estava entre os passageiros. Ele diz que quando o avião ficou voando em círculos, a maioria dos passageiros imaginou que o piloto estava fazendo essa manobra com objetivo de esvaziar o tanque para aterrissar no Rio Tocantins.

Mas, felizmente para todos, isso não foi necessário. O avião pousou, ainda que forçadamente, na pista do aeroporto. “Eu senti o gosto da morte. Foi uma situação de extremo pavor entre todos nós”, declarou o passageiro.

TAM descarta A380, mas investe em aeronave de grande porte



Líder no mercado doméstico de aviação, a TAM definiu como plano agora ampliar sua frota para vôos internacionais. Desde dezembro de 2007, quando veio ao Brasil o avião gigante Airbus A380, que se espera que a companhia anuncie a aquisição do maior avião comercial do mundo, para vôos de longa distância. O presidente da empresa, David Barioni Neto, no entanto, nega que tenha planos de adquirir essa aeronave.



Em entrevista exclusiva ao Terra, Barioni afirmou, porém que já assinou contratos para a compra de 34 aviões de grande porte, que serão entregues até 2013. Serão oito aeronaves da Boeing do modelo B777-300ER (com capacidade para 365 passageiros), 22 Airbus A350 XWB e quatro A330-200.


"Acabamos de receber o quarto Boeing 777-300ER e os demais quatro aviões desse modelo estão com entregas previstas para 2012. Já os Airbus A330 começam a ser entregues em 2010 e os A350, a partir de 2013", disse Barioni. Atualmente, a frota da companhia é composta por 129 aviões.


Crise


A companhia, afirmou Barioni, ainda não conseguiu avaliar os efeitos da crise internacional, já que as passagens e pacotes da alta temporada já haviam sido vendidos. Apenas ao final de março, quando termina a melhor época para o turismo, que poderá se avaliar. Apesar disso, a TAM mantém os planos de crescer e afirma que não pretende demitir funcionários.


"Planejamos aumentar nossa oferta de assentos em 8% no mercado doméstico e em 20% nas operações internacionais. Além disso, estimamos manter uma taxa de ocupação total de aproximadamente 70%".


Segundo Barioni, está no plano da TAM o lançamento de uma nova freqüência ou destino internacional em 2009.


A participação de mercado da TAM entre as aéreas brasileiras que operam linhas internacionais foi de 75,2% no ano passado. A companhia tem vôos diretos para 18 destinos nos Estados Unidos, Europa e América do Sul, entre eles Nova York, Miami, Paris (França), Londres (Inglaterra), Milão (Itália), Frankfurt (Alemanha) e Madri (Espanha).


Para o mercado doméstico, a empresa estima um crescimento entre 5% e 9% neste ano. O otimismo segue os resultados positivos do ano passado, quando a TAM alcançou receita operacional bruta de R$ 8 bilhões, com crescimento de 30,4%, até o terceiro trimestre. No acumulado de 2008, a aérea encerrou com 50,3% de participação do mercado doméstico.


Combustível


O principal custo de uma companhia aérea costuma ser o combustível. As variações do preço do petróleo e alta do dólar acabaram influenciando nos gastos realizados pela TAM. Segundo Barioni, entre janeiro e setembro de 2007, o combustível representou 33% do total de despesas operacionais da TAM, e aumentou para 40% no mesmo período do ano passado.


"Mesmo assim, em termos nominais, os preços das passagens aéreas praticados pela TAM estão abaixo das tarifas vigentes em 2006. A companhia mantém uma política de classes tarifárias em seus vôos com base em um conjunto de parâmetros (e não só o custo do combustível), que incluem o nível de ocupação de nossas aeronaves", explicou Barioni.


Ajuda do governo


Barioni afirmou que descarta qualquer ajuda direta do governo para que o setor de aviação enfrente a crise econômica. "Apenas entendemos que é preciso assegurar às companhias aéreas brasileiras condições que lhes permitam competir em situação de igualdade com as congêneres estrangeiras, principalmente no que diz respeito à carga tributária, além de custos agregados à operação logística e de importação", finalizou.

15 de mar de 2009

Ultraleve faz pouso forçado no Setor de Mansões Dom Bosco




Um ultraleve, prefixo PU-TTZ, fez um pouso forçado no fim da tarde deste sábado (14/3) no gramado da sede administrativa da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no Setor de Mansões Dom Bosco (SMDB). No ultraleve estavam o piloto, Lucas Zanello, de 47 anos, e o passageiro Francisco Aguiar Carneiro, de 44. Nenhum dos dois se feriu. A área é bem próxima ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck.

O piloto informou às autoridades policiais presentes no local que decolou da Associação dos Pilotos de Ultraleve de Brasília (Apub), uma área que fica atrás do autódromo de Brasília, para um voo panorâmico. Quando ele percebeu que o motor estava com problemas resolveu fazer o pouso de emergência. Segundo o presidente da Apub, Jarbas Mamede, o procedimento feito pelo piloto é comum e foi bem sucedido.

Apesar de a Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros terem comparecido ao local, como não houve feridos, a perícia da Polícia Civil não foi solicitada. Em lugar de agentes treinados, mecânicos da Apub desmontaram a aeronave, que foi retirada do local em carro particular, por volta das 20h.

Um morador da quadra 2 do condomínio Solar Brasília, no SMDB, em frente ao local do pouso, estava no quintal de casa quando o ultraleve passou voando muito baixo. "Neste momento ele ainda estava voando bem. Logo em seguida, percebi que ele começou a acelerar mais forte e ouvi barulhos estranhos. Minutos depois, um estrondo", disse Fernando Costa, de 35 anos. Ele conta também que ficou muito preocupado e teve medo que ultraleve caísse na casa dele.

Mamede disse que ainda não houve tempo de verificar qual a razão exata do pouso de emergência, mas tudo indica que o problema tenha sido mesmo no motor. Os policiais informaram que tudo correu bem no pouso, mas por causa de uma depressão no terreno a asa direita do ultraleve quebrou. Como o tanque de combustível é dividido pelas duas asas a área havia sido interditada para evitar algum acidente, como um incêndio.

De acordo com autoridades policiais, a documentação do piloto e da aeronave estava em dia.

14 de mar de 2009

Pinte o Avião




Marketing criativo bem feito. A Alaska Air fez uma campanha chamada “Paint the Plane” (pinte o avião) que iria premiar através de um concurso entre estudantes do Alaska (do pré-primário ao colegial) aqueles que fizessem um esquema de pintura em um Boeing 737 que melhor representasse o “Espírito do Alaska”.



Os juízes tiveram bastante trabalho para escolher entre tantas pinturas sensacionais feitas pelos jovens estudantes. A galeria de alguns dos desenhos pode ser vista aqui.


O grande prêmio foi para a estudante Hannah Hamberg, uma estudante do terceiro colegial de uma escola de Sitka. O desenho que ela fez não é somente bonito, mas também carrega a frase “We’re All Pulling Together” (algo como “todos seguindo na mesma direção). O maior prêmio é que seu desenho vai voar de verdade durante 4 anos em um 737 e milhões de pessoas verão sua maravilhosa criatividade, além é claro de umas férias na Disneylandia com tudo pago pela Alaska Air.

13 de mar de 2009

Repercussão do caso....






Opinião Pessoal:

Quem está doente, precisa de auxílio e de tratamentos...
Quem não reconhece a necessidade de ajuda, está vulnerável a tentações maléficas que causam terror e instigam cada vez mais a executar o pior...
Covarde é aquele que na infeliz decisão de ceifar sua própria vida, não o faz sozinho, levando inocentes e arriscando a vida de muitos outros...
Acordando no além será recebido por interventores que o levarão para o murmúrio dos desesperados onde aguardará ajuda até o momento que se rebaixe a sua mísera condição e reconheça que em nada contribuiu para a evolução humanitária, muito pelo contrário.

Sorte que acabou o gás e que ele errou o arredondamento na porta do Shopping...
poderia ser muito pior...
Sorte também de não ter tocado para a Capital Federal e metido esse avião no Congresso ou em outras edificações.
Decisão não autorizada para o abatimento da aeronave?
o que houve com a FAB?
por causa da criança?


VIDA LOCA!
MUNDO CÃO!

12 de mar de 2009

PT-VFI "a triste perda de um de nossos pássaros"




Segundo a PM, apenas carros estacionados foram atingidos.
Peritos do Cenipa investigam as causas do acidente em Goiânia.

Uma aeronave modelo EMB 712, prefixo PT-VFI, fabricada pela Embraer caiu no estacionamento do Shopping Flamboyant, em Goiânia, no início da noite desta quinta-feira (12). O comando da Polícia Militar (PM) de Goiás e o Corpo de Bombeiros da capital goiana confirmam a morte de Kleber Barbosa da Silva e de Penélope Barbosa Correia, pai e filha, respectivamente. As duas pessoas estavam no avião. A criança teria entre 5 ou 6 anos, segundo os bombeiros.

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o Aeroporto de Goiânia ficou fechado das 18h às 19h14 para pousos e decolagens, por razões de segurança.

O tenente Carlos Martins, da PM, informou que Barbosa da Silva teria agredido a mulher, cuja identidade não foi divulgada, na cidade de Anápolis (GO), de onde ele seguiu para Luziânia e pegou a aeronave. "A mulher está internada no Hospital de Urgência de Goiás, mas ainda não sabemos o que aconteceu com o casal."

Uma equipe de bombeiros foi até o local para avaliar os danos provocados pelo acidente e socorrer outras possíveis vítimas. Segundo a PM, frequentadores do shopping não foram atingidos pela aeronave, apenas os carros parados no estacionamento.

A Infraero informou que a aeronave não partiu de um aeroporto controlado pela empresa e que teria saído de Luziânia (GO) e seguido sentido Goiânia, mas caiu no estacionamento do shopping, que fica a cerca de 10 quilômetros do centro da capital goiana.
De acordo com o major Silvio Vasconcelos Nunes, da Polícia Militar de Goiás, a aeronave sobrevoou o espaço aéreo de Goiânia por várias horas. "Tivemos informações de que a aeronave estaria fazendo voos rasantes".
Uma equipe de peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) deve apurar as causas do acidente.

Roubo da aeronave
Segundo informações da Polícia Civil de Luziânia, a aeronave que caiu no shopping foi roubada do Aeroclube de Brasília, que mantém a base operacional em Luziânia, às 16h15. Segundo o Boletim de Ocorrência, o responsável legal pela aeronave, Horst Artur Guerra Gerhard Hoffmani, disse que um homem pediu para fazer um voo panorâmico com uma menina.

Ainda de acordo com a polícia, o piloto chegou a iniciar o taxiamento na pista do aeroclube para a decolagem, mas foi interrompido pelo homem, que sacou uma arma e pediu que o piloto parasse a aeronave e descesse. "O rapaz chegou com a filha e pediu um voo panorâmico. Na pista, o instrutor contou que o homem colocou uma arma na cabeça dele e mandou descer. Imediatamente acionamos a PM e a FAB", disse Hoffmani ao G1.
Segundo o relato do piloto à polícia, o homem teria dito: "Já matei uma pessoa hoje e posso matar mais uma". Depois ele seguiu com a aeronave para Goiânia.
Veja a íntegra da nota da Força Aérea Brasileira:

Com relação ao roubo da aeronave PT-VFI, pertencente ao aeroclube de Brasília, localizado em Luziânia - GO, e ocorrido na tarde de hoje, 12 de março, o Comando da Aeronáutica (COMAER) presta as seguintes informações:

• Ao ser notificado da ocorrência do roubo, o Primeiro Centro Integrado de Defesa e Controle do Tráfego Aéreo (CINDACTA I) informou o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA) que, por sua vez, ordenou a imediata decolagem de aeronaves em alerta de defesa aérea.

• O acompanhamento por caças da FAB aconteceu durante todo o tempo em que o PT-VFI permaneceu em vôo, primeiramente, por um MIRAGE 2000 e, posteriormente, por um avião T-27 Tucano.

• Por medida de segurança, o COMDABRA determinou a suspensão de pousos e decolagens do aeroporto de Goiânia, a fim de garantir a segurança das aeronaves em geral e, particularmente, para proporcionar as melhores condições de pouso para o PT-VFI.

• Até o momento em que a aeronave colidiu com o solo, os órgãos de controle de tráfego aéreo e os pilotos da FAB que acompanharam a aeronave roubada não conseguiram contato-rádio com o piloto do PT-VFI.

• Consumado o acidente aeronáutico, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) conduzirá as investigações necessárias a fim de identificar os fatores que contribuíram para a ocorrência.

• Todos os procedimentos adotados pelo COMAER, através do COMDABRA, foram permanentemente acompanhadas pelo Exmo. Sr. Ministro da Defesa Dr Nelson Jobim.


Brigadeiro-do-Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica


PT-VFI


FAB tentou contato e colocou Mirage 2000 para escoltar avião roubado


A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou, no início da noite desta quinta-feira (12/03), uma nota sobre a queda de um avião EMB-712 monomotor prefixo PT-VFI no estacionamento do shopping Flamboyant, em Goiânia (GO). Nela, confirma que a aeronave foi roubada no Aeroclube de Brasília em Luziânia (GO) - cidade aproximadamente 70 quilômetros distante da capital federal - e informa que o monomotor foi acompanhado em seu trajeto até a capital goiana. Até o momento da colisão, a Aeronáutica tentou contato com o piloto, Kleber Barbosa da Silva sem sucesso, ainda de acordo com o texto.

A FAB informa também que as aeronaves que acompanharam o monomotor foram dois caças: primeiramente um Mirage 2000, e no trajeto final da viagem até Goiânia, um T-27 Tucano. A Força Aérea não informa a que horas teve início o escoltamento nem em que momento foi comunicada sobre o roubo, mas diz que o acompanhamento do avião se deu "durante todo o tempo em que o PT-FVI permaneceu em voo".

A nota é encerrada dizendo que todos os procedimentos adotados durante o voo foram "permanentemente acompanhados" pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim.

O correiobraziliense.com.br apurou que o roubo aconteceu por volta das 16h30 e a queda no Flamboyant, por volta das 18h40. O avião entrou na capital goiana por volta das 18h. Às 18h10, a Empresa de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) interditou o Aeroporto Santa Genoveva para pousos e decolagens. O espaço aéreo na cidade e nas imediações também foi fechado, por ordem da FAB.

Kleber morreu na hora com o impacto do avião, assim como a filha dele, Penélope Barbosa, de cinco anos. Não há registro de outros mortos ou feridos. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Goiás, a aeronave caiu sobre cerca de 20 carros desocupados.

Antes de cair, a aeronave --de prefixo PT-VFI-- já havia atingido de raspão uma roda gigante de um parque de diversões do shopping, que foi esvaziado em seguida. Antes do acidente, a PM e os bombeiros receberam inúmeras ligações de pessoas informando que um avião desgovernado sobrevoava a cidade.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o homem teria pilotado o avião até o combustível acabar, caindo sobre carros estacionados próximo ao shopping. Ao menos 12 carros foram atingidos pela aeronave, mas ninguém se feriu.

Segundo o Shopping Flamboyant, as lojas foram fechadas e o local esvaziado. O estabelecimento não soube informar, entretanto, se ainda havia pessoas no estacionamento.

Frieza no aeroclube
O desempregado Kléber Barbosa da Silva, 24 anos, chegou ao Aeroclube de Brasília, que fica em Luziânia (GO), por volta das 16h de ontem. Segundo testemunhas, ele estava calmo e disse aos instrutores que queria fazer um voo panorâmico com sua filha (esse tipo de serviço custa R$ 380 no aeroclube). Kléber combinou de pagar o valor na volta, com base nas horas sobrevoadas.

Ainda de acordo com os instrutores que estavam no aeroclube no momento, o desempregado demonstrou conhecimento de aviação. Subiu na aeronave, ficou na frente, ao lado do instrutor, José Luiz Gonçalves de Souza Filho, e a filha, Penélope, 5 anos, ficou atrás. Estava calada e não demonstrava nenhuma agitação. “O que intriga é isso. A garota estava bem tranquila”, ressaltou o delegado do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) de Luziânia, Rosivaldo Linhares, que ouviu o instrutor ontem mesmo.

Segundo depoimento de José Luiz na unidade policial, quando o avião taxiava e fazia o que os pilotos chamam de “checagem de cabeceira” — ajeitando o avião para decolar — Kléber teria sacado uma arma e colocado na cabeça do instrutor, anunciando o assalto. “Não vi a arma, mas ouvi o barulho dele engatilhando”, contou José Luiz (idade não informada). Segundo ele, além de anunciar o roubo, Kléber disse: “Já matei um hoje e vou matar dois”.

Nesse momento, o instrutor desceu do monomotor e, logo em seguida, por volta das 16h30, Kléber decolou o aparelho. José Luiz disse que a decolagem não ganhou altura compatível com os procedimentos normais. O avião tinha cinco horas de autonomia de voo. O percurso de Luziânia a Goiânia leva de 40 a 45 minutos. O tanque da aeronave estava cheio.

UP THE IRONS!





I'm waiting in my cold cell, when the bell begins to chime.
Reflecting on my past life and it doesn't have much time.
'Cause at 5 o'clock they take me to the Gallows pole,
The sands of time for me are running low.

When the priest comes to read me the last rites,
I take a look through the bars at the last sights,
Of a world that has gone very wrong for me.

Can it be that there's some sort of error.
Hard to stop the surmounting terror.
Is it really the end, of some crazy dream.

Somebody please tell me that I'm dreaming,
It's not so easy to stop from screaming,
The words escape me when i try to speak.
Tears flow but why am I crying,
After all I'm not afraid of dying.
Don't I believe that there never is an end.

As the guards march me out to the courtyard,
Somebody cries from a cell "God be with you".
If there's a God then why has he let me go?

As I walk all my life drifts before me,
Though the end is near I'm not sorry.
Catch my soul, it's willing to fly away.

Mark my words believe my soul lives on.
Don't worry now that I have gone.
I've gone beyond to see the truth.

When you know that your time is close at hand.
Maybe then you'll begin to understand,
Life down here is just a strange illusion

Ultraleve carregado de maconha cai nos EUA





Um ultraleve que transportava maconha nos Estados Unidos caiu sobre um campo de alfaces. O piloto não resistiu. O acidente ocorreu no estado do Arizona. A aeronave vinha do México, segundo a polícia de fronteira.

GOL lança novas ligações entre cidades do norte do País




A GOL iniciará a partir de 16 de março o segundo serviço diário entre São Luís (MA) e Belém (PA), com a extensão do voo 1742 (Brasília–Imperatriz–São LuÍs) à capital paraense.
Com isso, a GOL será a única empresa aérea brasileira a oferecer ligação sem conexões entre Imperatriz e Belém.
“Ampliamos também as opções de conexão para a maior comodidade dos clientes”, diz Wilson Maciel Ramos, vice-presidente de Planejamento e TI da GOL. “Agora, ao chegar em São Luís, o passageiro de Imperatriz pode fazer conexão para Fortaleza. Além disso, em Belém, clientes provenientes dessas duas cidades maranhenses podem tomar conexões imediatas para Macapá (AM) e Marabá (PA)”. O novo voo da GOL, que parte à noite, retorna a Brasília pela manhã com a numeração G3 1859.

11 de mar de 2009

Horários da Delta em Brasília divulgados




Melhor não poderia ser, os brasilienses poderão conferir o 757 da Delta por nada mais, nada menos, que 15h seguidas. Isso porque o voo que será inaugurado no dia 17 de Dezembro, chega em Brasília às 8:45 da manhã, e só sai as 11:45 da noite. O voo será o DL231. Partindo de Atlanta para Brasília sem conexões. O 757 chegará em Brasília às: terças, sextas e domingos.

Paul Kossoff






Origem e Carreira
Natural de Londres, Paul Kossoff era filho de um famoso ator, também britânico, David Kossoff.

Iniciou sua carreira de guitarrista em meados da década de 60, tocando em uma banda chamada de heavy blues-rock chamada Black Cat Bones, com o baterista Simon Kirke. Em abril de 1968 ambos uniram-se ao vocalista Paul Rodgers, e ao baixista Andy Fraser formando a banda Free. A banda fez 2 anos de turnê apresentando os álbums Tons Of Sobs (1968) and Free (1969).

O sucesso maior veio em 1970, com o álbum Fire and Water (1970), que trouxe o a sua música mais famosa, "All Right Now", que causou muitas críticas e audiência em seus concertos. O álbum seguinte Highway(1970) veio seguido do desmanche da formação oficial, Rodgers e Fraser perseguiram carreiras solos, Kossoff e Kirke, uniram-se ao tecladista John "Rabbit" Bundrick e ao baterista japonês Tetsu Yamauchi para realizar o álbum Kossoff, Kirke, Tetsu and Rabbit (1971).

Morte
Kossoff encontrava-se debilitado psicologicamente pelo fim da banda Free e também pelo excessivo uso de drogas tendo sua saúde em estado precário para alguém de sua idade, apenas 25 anos. Morreu no dia 19 de Março de 1976, em um vôo que ia de Los Angeles para Nova Iorque, com problemas do coração relacionados ao uso de drogas. Seu corpo foi cremado.


Discografia

Free
Tons Of Sobs (1968)
Free (1969)
Fire And Water (1970)
Highway (1970)
Free Live! (1971) (ao vivo)
Kossoff, Kirke, Tetsu and Rabbit (1971)
Free At Last (1972)
Heartbreaker (1973)
Álbuns após o término da banda:

The Free Story (1974)
The Best of Free (1975)
Free and Easy, Rough and Ready (1976)
Completely Free (1982)
All Right Now: The Best of Free (1991)
Molten Gold: The Anthology (1994) (2 discos)
Free: All Right Now (1999)
Songs of Yesterday (2000) (5 discos)
Chronicles (2005) (2 discos)

Solo
Back Street Crawler (1973)
Koss (1977)

Back Street Crawler
The Band Plays On (1975)
Second Street (1976)
Live at Croydon Fairfield Halls 15/6/75

Fifteen minutes later, Im sittin on my plane fastened in my safety belt Im takin off again


I get up in the morning and its just another day
Pack up my belongings, Ive got to get away.
Jump in to a taxi and the time is gettin tight
I go to keep on movin I got a show tonight
Mmmm,
And Im movin on, movin on from town to town
Movin on, baby, yeah Im never touchin the ground. Yeah.

I take it to the ticket gate and have another bowl
headin for the bordengate Im feelin pretty low
Fifteen minutes later, Im sittin on my plane
fastened in my safety belt Im takin off again

And Im movin on, movin on from town to town
Movin on, baby, yeah Im never touchin the ground.
Whoa-oh-oh-oh-oh-oh. Yeah.
Whoa-oh-oh-oh-oh-oh.
Whoa-oh-oh-oh-oh-oh.

And Im movin on, movin on from town to town
Movin on, I cant seem to stop now.

(Improv. Guitar Solo)

I got to move on, move on from town to town.
I got to move on, I never seem to slow down.
Oh, I got to move on, move on from town to town.
I got to move on, I never seem to slow down.



CMTE BAD COMPANY

I CAN'T DENY!

Webjet com mais vôos



A Webjet passou a oferecer mais voos em algumas cidades brasileiras. Entre Brasília e o Rio de Janeiro são cinco frequências diárias em cada trecho.



Brasília - Salvador tem uma nova opção de domingo a sexta-feira. Salvador tem também mais um voo direto para o Rio de Janeiro, diariamente. Porto Alegre - Guarulhos passa a contar com quatro ligações, com o acréscimo de um voo direto e uma frequência com escala em Curitiba.

Com as mudanças, implantadas na segunda-feira, a empresa passa a operar 37 voos, entre 80 trechos, diariamente, ligando 12 cidades. O objetivo da mudança na malha, segundo a companhia, é reforçar horários e frequências nas cidades atendidas, possibilitando boas conexões e mantendo regularidade e pontualidade elevadas.

10 de mar de 2009

Water FS2004


Bem...aí vai pro pessoal do FS2004



descompacte em C:\Arquivos de programas\Microsoft Games\Flight Simulator 9\Scenery\World\texture



Download

O futuro da aviação nacional



A aviação nacional passa por um momento de bons números. A demanda por passageiros vem crescendo, a movimentação de cargas nos terminais aeroportuários é satisfatória e novas empresas aéreas surgem para instalar um mercado competitivo no Brasil, uma vez que o setor é concentrado nas ações da Gol e da TAM.

Pode-se afirmar que o setor de aviação não é para principiantes. Necessita-se entender a dinâmica do mercado com profundidade, devido às incertezas econômicas e governamentais que determinam as regras do jogo. O passado recente pode confirmar esta afirmação. Quem não relembra da Vasp, Cruzeiro do Sul, Transbrasil e BRA, ambas falidas? Basicamente, foram empresas que sofreram as pressões dos custos do setor e falhas de gestão.

Um dos principais problemas para a aviação comercial são os elevados gastos com o consumo de combustíveis, chegando a 30% dos custos das empresas aéreas. Atualmente, tanto a Gol, quanto a TAM mostram-se preocupadas com a elevação destes gastos em suas rotas, buscando alternativas permissíveis na legislação nacional para a redução deste insumo. Uma das propostas da Gol, está no desligamento de uma das turbinas, enquanto o avião estiver em solo, o que resultaria em uma economia de R$ 22 milhões de reais por ano.

Ao mesmo tempo, as demandas por jatos comerciais estão para os modelos menores, de no máximo 100 lugares, focados na aviação regional e que possuam autonomia de vôo satisfatória. Um modelo interessante é o da americana Jetblue, que será adotado no Brasil pela recém criada Azul Linhas Aéreas, do empresário David Neelman e com início das operações em janeiro de 2009. Os modelos de aviões utilizados serão os EMB-190, da Embraer. Estes jatos são considerados os mais sofisticados da categoria, devido à eletrônica de bordo, ao seu design inovador e ao peso total do avião, o que reduziria os gastos com manutenção, tempo de vôo e consumo de combustíveis. Além desta questão, a empresa realizará as suas operações em cidades consideradas centrais, como Belo Horizonte e Salvador e que ao mesmo tempo apresentam déficit de vôos, pois a concentração das rotas atualmente passa por Congonhas ou Brasília.

Aliás, a Embraer será pela primeira vez o fornecedor de aviões para uma empresa nacional, já que em todos os processos de aquisições de equipamentos, as opções eram direcionadas para a americana Boeing ou para a européia Airbus.

A Embraer é considerada uma das melhores fabricantes de jatos executivos e comerciais do mundo, devido à evolução do seu sistema produtivo e da qualidade de seus equipamentos, tanto que a sua carteira de pedidos é crescente para todo o mundo. Antes da Azul, somente a TAM havia registrado a possibilidade de compra dos jatos de fabricação nacional, porém optando por outro modelo estrangeiro.

O fato é que o mercado de aviação nacional vem gerando expectativas em todo o mundo. Dados da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) demonstram que o número de passageiros vem crescendo 12% ao ano, com 2% das cidades que recebem rotas regulares e um total de R$ 45 milhões de pessoas que utilizam os ônibus para as suas viagens. Diante destes números, o Brasil é um mercado sólido para investimentos e forte crescimento.

A entrada de novas empresas para a aviação regional e a expansão das já atuantes assinala um futuro promissor. Porém, algumas melhorias precisam ser verificadas. Há a necessidade de revisar o campo de atuação da ANAC e da Infraero, pensando até em possíveis privatizações de terminais aeroportuários, buscando a redução das tarifas cobradas para as empresas aéreas e passageiros, sem a perda de qualidade dos serviços. Observa-se também, a importante adequação da infra-estrutura, que contemple pistas seguras, supervisão correta do espaço aéreo nacional e de pessoal qualificado para o atendimento e conforto dos passageiros.

9 de mar de 2009

Aeroporto de Brasília receberá R$ 9,3 milhões para obras de melhoria



O Aeroporto Internacional de Brasília – Presidente Juscelino Kubitscheck (DF) oferecerá ainda mais conforto aos usuários e passageiros. Esta semana já foi publicado no Diário Oficial da União o termo de contrato assinado entre a Infraero e a empresa ATP Engenharia para elaboração dos projetos de reforma e ampliação do Terminal de Passageiros (TPS) e acesso viário do aeroporto.


Os serviços técnicos custarão R$ 9,3 milhões e deverão ser entregues em até 450 dias.O contrato prevê intervenções no atual terminal de passageiros e a sua ampliação em direção ao terminal de cargas. No atual terminal, haverá melhorias em aproximadamente 8 mil metros quadrados, incluindo saguão, salas de embarque e desembarque, check- in, controles de entrada de passageiros (raios-x), meio fio de
desembarque e a área de bagagens.


Com a ampliação do TPS, serão acrescidos cerca de 80 mil metros quadrados, o que permitirá atender a um movimento de 25 milhões de passageiros por ano, estimado para ser atingido em 2018. O acesso viário será ampliado na área de meio fio utilizada para embarque e desembarque de passageiros. Além disso, o estacionamento público de veículos também será ampliado.


Somente em 2008, o aeroporto de Brasília registrou um movimento 10,44 milhões de passageiros embarcados e desembarcados.

8 de mar de 2009

Se não guardamos a data de aniversário de quem nos é importante na memória do coração, não vale a pena escrevê-la na agenda






O Airbus A330 é a aeronave comercial de passageiros de maior capacidade de operação para médias e longas distâncias fabricada pela Airbus.
A fuselagem do A330, é basicamente herdada do Airbus A300, como a seção do nariz/cockpit , o sistema fly-by-wire e o deck do A320. O A330 e o A340 são montados na mesma linha de montagem em Toulouse-Blagnac, França.
O A330 possui duas variantes, o A330-300, desenvolvido em 1987, e entrou em serviço em 1993, e o A330-200, desenvolvido em 1995, e entrou em serviço em 1998. A Versão Cargueira (A330-200F)entrou em serviço em 2008 e o Tanque (Airbus A330 MRTT)ainda se encontra em desenvolvimento.

Especificações:
A330-200 A330-300
Comprimento: 58,8 m 63,6 m
Altura: 17,14 m 16,85 m
Envergadura: 60,3 m 60,3 m
Secao: 5.64 m 5.64 m
MTOW: 230.000 Kg 230.000 Kg
Assentos: 253/293 - Três classes 295/335 - Três classes
Carga: 19.7 / 13.76 m³ 19.7 / 13.76 m³
Motores: 2 CF6-80E1 ou PW4000 ou RR Trent 700 2 CF6-80E1 ou PW4000 ou RR Trent 700
Velocidade de cruzeiro: 0,82 Mach(871 Km/h)0,82 Mach(871 Km/h)
Autonomia: 12.500 km 10.500 km
Combustivel: 139.100 L 97.170 L

6 de mar de 2009

Mais conforto aos usuários do Galeão



A revitalização do Terminal de Passageiros 1 (TPS-1) do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão (RJ) – Antônio Carlos Jobim está em ritmo acelerado. Várias obras estão em fase avançada e dão uma nova fisionomia ao terminal.



Um exemplo é a reparação de 43 banheiros do TPS-1. Atualmente, 10 sanitários estão em obras com previsão de término dos trabalhos para o final de março. À medida que forem entregues os sanitários em obras, outros começarão a ser reformados. Ao todo, 14 banheiros já foram liberados ao público.

Hoje, esses sanitários servem como modelo para os demais aeroportos da rede Infraero. Os banheiros reformados têm recebidos elogios da comunidade aeroportuária e de passageiros. Plantonistas limpam os sanitários localizados em área de grande circulação de usuários, constantemente, além de renovar o material de limpeza.

Segundo o presidente da Infraero, Cleonilson Nicácio Silva, são notórias as melhorias no Galeão. “Não vamos paralisar por nada os investimentos e o Galeão voltará a ser um dos mais importantes aeroportos do País”, aponta.

Além das obras nos banheiros, outras melhorias fazem o terminal ganhar outra aparência. Cerca de 70% do polimento do piso de granito já foi realizado e a previsão de conclusão dos 30% é para abril deste ano. O teto rebaixado está sendo trocado: 60% da obra estão concluídos e os outros 40% devem estar prontos até junho.

O piso emborrachado preto já foi quase todo retirado, os últimos 20% devem ser trocados até abril. Cerca de 40% das paredes de fórmica já foram tratadas, o resto deve ficar pronto também no próximo mês.

Essas obras emergenciais preparam o Terminal de Passageiros 1 para uma reforma completa. O projeto básico, já contratado, está orçado em R$ 4,58 milhões. A previsão inicial de investimento para reforma e revitalização do TPS-1 é de R$ 310 milhões.

Ao todo, estão previstos R$ 678,9 milhões para reformas e melhorias para o Galeão até 2010, assim discriminados: Terminal de Passageiros 1: R$ 268,9 milhões; Terminal de Passageiros 2: R$ 314 milhões; Sistema de Pistas e Pátios: R$ 70 milhões; Terminal de Cargas: R$ 25 milhões.

Todas as ações têm interface direta com o fluxo operacional do Galeão, para minimizar o impacto operacional junto aos passageiros, às empresas aéreas e aos concessionários. As obras ocorrem 24h por dia, 365 dias do ano. Mesmo no período de alta temporada (Natal e Ano Novo), férias e Carnaval, a Infraero continuou com as obras.

As obras de revitalização do Aeroporto do Galeão são feitas para proporcionar aos clientes, passageiros e usuários, conforto, modernidade e melhor fluxo operacional.

Anac prepara a liberação de Pampulha



Depois de liberar o Santos Dumont para voos além da ponte aérea Rio-São Paulo, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deverá reabrir o aeroporto da Pampulha para as grandes companhias, em uma iniciativa que enfrenta forte oposição do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB).



O extinto Departamento de Aviação Civil (DAC) limitou o uso do aeroporto central de Belo Horizonte, em uma portaria editada em março de 2005, à aviação executiva ou a ligações comerciais feitas com turboélices para até 50 passageiros. Na prática, a medida expulsou as empresas de maior porte e desativou voos da Pampulha para outras capitais.


A agência praticamente concluiu os estudos técnicos para a expansão operacional do aeroporto mineiro, em um processo que seguirá os mesmos trâmites da liberação do Santos Dumont: o processo será colocado em audiência pública, provavelmente ainda no primeiro semestre, e a decisão da diretoria da Anac ocorrerá após o recebimento de contribuições dos interessados.


Aécio aproveitou uma visita à Cidade Administrativa, onde está sendo construída a nova sede do governo de Minas Gerais, para criticar essa possibilidade. Ele disse já ter protestado ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, e prometeu uma "ação vigorosa" para manter somente voos regionais na Pampulha.


O governador mineiro lembrou que houve criação de ligações internacionais a partir do aeroporto de Confins, nos últimos anos, e qualificou como "retrocesso" a postura da agência.


"Os voos diretos para outros Estados devem sair de Confins porque isso viabilizou a vinda para BH de voos internacionais que nós não tínhamos", disse Aécio, segundo entrevista distribuída por sua assessoria.


"Hoje são mais de 50 saídas semanais. E elas só chegam a Confins porque ele é um "hub" de distribuição para outros Estados. Quando permitirmos que esses voos diretos, seja para o Rio, São Paulo ou outras capitais saiam da Pampulha, não é uma companhia apenas que vai querer esse privilégio. Isso desmonta o "hub" de distribuição dos voos internacionais", afirmou Aécio.


A justificativa da Anac tem base legal. Segundo a agência, a lei de sua criação, publicada em setembro de 2005, permite às empresas explorar "quaisquer linhas aéreas, observada (sic) exclusivamente a capacidade operacional de cada aeroporto e as normas regulamentares de prestação de serviço adequado expedidas pela Anac". Seria ilegal e artificial, do ponto de vista do regulador, fazer restrições à aviação comercial se não há obstáculos da pista e do terminal para as suas operações.


O presidente da Azul, Pedro Janot, disse ontem ao Valor que tem muito interesse em voar desde Pampulha, fazendo o trajeto entre Belo Horizonte e Rio. Assim que a Anac liberar Pampulha, a Azul apresentará suas propostas de voo, disse Janot.


No caso da Pampulha, a grande diferença em relação ao Santos Dumont é a baixa capacidade do terminal, que comportaria a movimentação simultânea de apenas 400 passageiros - o equivalente a pouco mais de dois A320 ou 737-800 cheios. Portanto, a liberação do aeroporto mineiro deve gerar um acréscimo de sua exploração menor do que a medida para o Santos Dumont, mas será suficiente para permitir a volta dos voos para outras capitais, inclusive a seus aeroportos mais centrais, como Congonhas.


Quanto à polêmica envolvendo o aeroporto carioca, a Anac preferiu o silêncio e evitou ontem responder ao governador do Rio, Sérgio Cabral.


Uma fonte da agência informou que as companhias aéreas serão convocadas a uma reunião, ainda sem data marcada, para discutir como os "slots" (faixas de horário para pousos e decolagens) livres no Santos Dumont vão ser alocados.


Na reunião de terça-feira, em que foi tomada a decisão sobre o aeroporto, os diretores da Anac fizeram questão de registrar em ata que buscarão garantir que o processo de distribuição de slots "não seja discriminatório, tenha isonomia e transparência". Por isso, já houve o cancelamento de todos os pedidos encaminhados à agência pelas companhias aéreas, que tentavam assegurar espaço no Santos Dumont pela ordem de chegada das solicitações.


Até 22 de janeiro, a Anac havia recebido 47 pedidos: 14 da Webjet, 12 da OceanAir, 11 da TAM e 10 da Gol/Varig. Mais de 70% se referiam a voos com destino a Pampulha ou a Brasília. Os outros previam ligações para Vitória e Curitiba. Apenas um era para Porto Alegre - a maior distância entre as solicitações feitas.


Hoje, no pico (início da manhã e fim de tarde), o Santos Dumont tem 16 movimentos por hora. A capacidade operacional é para 23 pousos ou decolagens. O órgão regulador deixou claro que a distibuição dos espaços não seguirá o critério de ordem de chegada. A previsão dos técnicos é que dificilmente o aeroporto carioca terá ligações de grandes distâncias, como voos para Manaus.


A pista do Santos Dumont é curta - menos de 1.400 metros, inferior inclusive a Congonhas - e os manuais das aeronaves estabelecem o peso máximo para o pouso ou a decolagem. Quanto maior o trajeto, menor a quantidade de carga, combustível e até de passageiros que poderão ser transportados. Ou seja, a decisão das empresas respeitará uma lógica essencialmente econômico.