30 de out de 2009

Funasa confirma nove sobreviventes, uma pessoa presa nas ferragens e um militar desaparecido

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) confirmou que nove pessoas que estavam a bordo da aeronave C-98, desaparecida quinta-feira (29/10), sobreviveram. Um dos técnicos da instituição ainda está preso às ferragens do avião – não se sabe se vivo ou morto – e um militar da Força Aérea B
A FAB informou, há pouco, a localização da aeronave e que havia indícios de sobreviventes. Já a Funasa havia informado anteriormente que era certa a existência de sobreviventes e que o avião teria feito um pouso forçado.

O avião levava funcionários da Funasa para aldeias indígenas no interior da Amazônia, onde fariam um trabalho de imunização. Eles estavam realizando o trabalho há 15 dias e, segundo a FAB, a aeronave estaria levando-os de volta pra casa.rasileira (FAB) está desaparecido.

correioweb

Sete aeronaves da FAB buscam avião desaparecido na Amazônia

Sete aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) realizam, neste momento, buscas pelo avião que desapareceu na manhã de quinta-feira (29/10) depois de ter partido de Cruzeiro do Sul, no Acre, com destino a Tabatinga, no sudoeste do Amazonas. Segundo o Comando da Aeronáutica, mais de 100 homens participam das operações.

O avião desaparecido é um C-98 Caravan da FAB. A confirmação do desaparecimento foi feita pela Aeronáutica. De acordo com o órgão, as buscas prosseguiram durante toda esta madrugada com a ajuda de um helicóptero HM-3 Cougar do Exército e uma aeronave R-99 da FAB equipados com sensor para varredura térmica. Porém, não foram econtrados sinais do avião desaparecido.

As aeronaves que estão sendo utilizadas nesta sexta (30) para o trabalho de busca são dois helicópteros H-60L BlackHawk, um helicóptero HM-3 Super Cougar, um KC-130 Hércules, um SC-95 Bandeirante, dois C-150 Amazonas e um R-99, equipado com sistemas de busca termal. Esse mesmo modelo foi utilizado pela FAB durante as buscas pelo Airbus A330 da Air France que caiu no Oceano Atlântico em junho deste ano. As demais aeronaves fazem busca visual padrão pelo avião desaparecido.

O Comando da Aeronáutica confirmou que uma base militar já está funcionando em Cruzeiro do Sul. Em Tabatinga, há um destacamento da FAB, mas os trabalhos, por enquanto, serão coordenados pela base militar.

O Comando da Aeronáutica informou ainda que as condições meteorológicas eram boas no horário do desaparecimento do avião e que permanecem boas durante as operações de busca. As 11 pessoas a bordo participavam de ação de vacinação do Ministério da Saúde.

O modelo C-98 Caravan foi desenvolvido no início dos anos 80 nos Estados Unidos para transporte de pequenas cargas e passageiros em curtas distâncias. No Brasil, é utilizado desde 1987 em tarefas de apoio, utilitárias e de evacuação aeromédica. Também é usado pelo Correio Aéreo Nacional e em ações cívico-sociais do Exército.

Free Mr. Big

FAB: avião que sumiu na Amazônia emitiu sinal de emergência


A Força Aérea Brasileira afirmou na noite desta quinta-feira que recebeu um sinal de emergência emitido pela aeronova C-98 Caravan, que desapareceu durante viagem entre Cruzeiro do Sul (AC) e Tabatinga (AM) com 11 pessoas a bordo. Segundo a FAB, o sinal foi dado 58 minutos após a decolagem.
De acordo com o órgão, baseado nas informações dos últimos contatos e do sinal de emergência, foi possível estabelecer uma área para o início das buscas. Os trabalhos vão continuar durante a noite com naves dotadas de sensores térmicos.

A FAB informou que será montada uma base das operações na cidade de Cruzeiro do Sul. Trinta e seis militares, entre médicos, enfermeiros e especialistas em resgate, foram deslocados para a localidade. Mais de cem militares participam da operação na região.

As famílias dos militares e dos civis estão recebendo assistência e informações sobre o trabalho de busca.

C-98 Caravan

A aeronave, que comporta de nove a 14 ocupantes, foi desenvolvida no início dos anos 80 para transporte de pequenas cargas e passageiros em curtas distâncias. No Brasil, é utilizada desde 1987 em tarefas de apoio, utilitárias e de evacuação aeromédica.

O modelo opera com sucesso na região Amazônica, devido a sua robustez e simplicidade. A aeronave é usada pelo Sétimo Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA), o Esquadrão Cobra, sediado na Base Aérea de Manaus.

Aeronave com cerca de 150 kg de cocaína é alvejada por patrulha da FAB próximo a Cristalina e faz pouso forçado

Um pequeno avião carregado com cocaína por pouco não foi abatido por uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) nas proximidades de Cristalina (GO), a 140km de Brasília, no fim da tarde dessa quinta-feira (29/10). Os pilotos receberam alerta para que pousassem imediatamente, mas decidiram prosseguir viagem. O Tucano da FAB disparou um tiro de advertência, mas os criminosos não se intimidaram. Em seguida, os militares efetuaram outros dois tiros de abate, forçando os traficantes a aterrissar a aeronave em uma fazenda. Os criminosos — as autoridades não souberam precisar quantos — fugiram se embrenhando na mata.

Segundo fontes da Polícia Federal, o avião vinha da Bolívia, com cerca de 150 quilos de cocaína, quando foi interceptado já sobre o espaço aéreo de Goiás. Os pilotos da FAB pediram a identificação e a origem da aeronave, mas não receberam respostas. Depois de dar o primeiro tiro de advertência, conforme determina a Lei do Abate(1), os traficantes desviaram a rota do voo, retornando em direção à Bolívia. Os militares pediram autorização do Comando da Aeronáutica, que consentiu com o tiro para abater a aeronave não identificada.

“Foram dados dois tiros para acertar o avião”, explicou a fonte da PF, que pediu anonimato. Ao perceberem que poderiam cair, os traficantes decidiram voltar à rota original e aterrissar. Os policiais federais que seguiram para o local não sabiam informar a nacionalidade do avião, nem precisar o total de cocaína que ele carregava, mas calcularam em cerca de 150 quilos. Esse foi o segundo caso no país em que a FAB atira em uma aeronave suspeita. O primeiro aconteceu em junho, em Rondônia. Mas até hoje, desde a instituição da Lei do Abate, nenhuma aeronave chegou a cair após ser interceptada.

Próximo ao local do pouso, a PF apreendeu um veículo que estava escondido na mata. Os agentes acreditam que o carro seria utilizado pelos traficantes. Dezenas de policiais federais das superintendências de Goiás e do Distrito Federal seguiram para o local, depois de avisados pela FAB. Todo o material recolhido na aeronave seria transportado para Brasília, inclusive a cocaína apreendida. A PF não tem pistas dos traficantes, nem sabia informar o destino da droga. O avião, depois de passar por uma perícia, deverá ser trazido ao Distrito Federal.

1- Destruição
A Lei do Tiro de Destruição, nome original da Lei do Abate, criada em 2004, permite disparos em aviões suspeitos em duas ocasiões: quando o piloto da aeronave não obedece às medidas de averiguação, que consistem no reconhecimento da distância, confirmação de matrícula, contatos via rádio e sinais visuais; e quando não é obedecida a determinação de mudança na rota e pouso obrigatório. São disparados os tiros de advertência e, em seguida, uma rajada de destruição.

28 de out de 2009

Falta de combustível pode ter causado queda de avião monomotor na saída para Três Lagoas (MS)




Uma nova hipótese surge para a causa da queda do avião monomotor Cessna 170A prefixo PT-AQO, ocorrida por volta das 16h30 desta terça-feira, 27 de outubro, no aeroporto Aero Rural, (ou Aero Ching) na saída para Três Lagoas, em Campo Grande. Conforme o responsável pelo estabelecimento, Jaime Maldonado, teria faltado combustível na aeronave.

O piloto, ainda conforme Maldonado, seria Herculano e o passageiro Vanderlei. Ambos teriam idade aproximada de 40 anos. Maldonado estaria ferido com maior gravidade, segundo Maldonado. Conforme o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), os feridos seriam dois homens que aparentam ter média de 40 anos de idade.

Maldonado disse ao Capital News que o avião provavelmente iria pousar no aeroporto Santa Maria, na região das Moreninhas, mas, fez um pouso forçado no Rural. Assim que tentara alçar voo novamente, sofreu com a falha e caiu.

desastresaereosnews foi a fonte...

Pilotos que "cochilaram" e passaram aeroporto perdem licença


As autoridades americanas de aviação decidiram revogar nesta terça-feira (27/10) a licença do comandante e do co-piloto do Airbus A320 da Northwest Airlines que passou pelo aeroporto no qual deveria pousar.

"A Administração Federal de Aviação revogou as licenças dos dois pilotos da Northwest Airlines que passaram pelo local de pouso no dia 21 de outubro de 2009, no voo 188 entre San Diego e Minneapolis".
O comandante, 53 anos, e seu co-piloto, 54, prestaram depoimento na véspera a NTSB (National Transportation Safety Board), quando reafirmaram que o incidente foi provocado por uma "distração".

O avião, que levava 144 passageiros, deveria pousar no aeroporto internacional de Minneapolis-St Paul. No entanto, o Airbus passou direto pelo local e continuou voando na direção nordeste por mais 150 milhas (241,35 km), até que o controle de tráfego aéreo do aeroporto conseguiu finalmente se comunicar com os pilotos.

Os dois disseram à NTSB que estavam discutindo sobre os novos horários de trabalho devido à fusão da Northwest com a Delta, quando o avião seguia em altitude de cruzeiro.

Piloto e co-piloto também confirmaram que só tomaram consciência da posição do Airbus quando uma comissária de bordo os avisou, cinco minutos antes do horário previsto para o pouso.

Segundo o comandante, ao perceber o erro ele entrou em contato com a torre de controle de Minneapolis para informar que voltaria ao aeroporto.

Normalmente, um procedimento de pouso é preparado cerca de 200 km antes do aeroporto.

Segundo o especialista Bill Voss, da "Flight Safety Foundation", muito provavelmente piloto e co-piloto dormiram na cabine de comando.

"Uma possibilidade real é o cansaço dos pilotos, que podem ter dormido, disse Voss após o incidente, em referência ao rigor da escala de trabalho de certas companhias aéreas.

27 de out de 2009

Relatório da Aeronáutica aponta oito fatores como causa do acidente da TAM


Oito fatores causaram o acidente do voo 3054 da TAM, que deixou 199 mortos em 17 de julho de 2007, em São Paulo. De acordo com a edição desta terça-feira (27/10) do jornal O Estado de S. Paulo, o relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) aponta que os peritos não encontraram evidências de falha nas engrenagens dos manetes (aceleradores).

O Cenipa investigou duas hipóteses mais prováveis para a ocorrência do acidente, já que não foi possível determinar com 100% de certeza em que posição as alavancas de potência estavam no momento em que o Airbus A320 varou a pista do Aeroporto de Congonhas devido à destruição causada pelo fogo. A primeira delas é uma falha no sistema de controle de potência do jato, que teria transmitido ao motor informação diferente da que indicava o manete. A segunda teria sido um erro dos pilotos Kleiber Lima e Henrique Stefanini di Sacco. Esta hipótese seria a mais provável para o Cenipa, “uma vez que é elevada a improbabilidade estatística de falha no sistema de acionamento” dos manetes.
Os peritos fizeram, em um simulador, 23 procedimentos de aproximação apara pouso em Congonhas. As simulações revelaram que nem sempre o aviso sonoro “retard”, que tem a função de advertir os pilotos sobre os procedimentos a serem adotados no momento do pouso, operou conforme o previsto. A investigação da Aeronáutica também encontrou muitas irregularidades em Congonhas na época do acidente, como a falta de inspeção aeroportuária especial durante as obras realizadas no aeroporto e concluídas em 2007, e o fato de Congonhas não dispor de aérea de escape. O relatório aponta ainda falhas no treinamento e instrução fornecidos pela TAM, e uma deficiência na formação de Stefanini, o copiloto, que contemplava apenas um tipo de certificação, e se mostrou insuficiente para enfrentar aquela situação.

O relatório final ainda não foi divulgado oficialmente. Segundo o Setor de Comunicação Social da Aeronáutica, o texto está em fase final de elaboração e deve ser concluído ainda este ano. Nesta terça-feira, acontece em Brasília a última reunião da comissão de investigação do acidente, com a participação de peritos norte-americanos e franceses que auxiliaram na apuração.

Delegada abre inquérito sobre morte no aeroporto e pede registro de conversas durante voo

Rio de Janeiro - A titular da Delegacia do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Dairj), Teresa Pezza, instaurou nesta segunda-feira (26/10) inquérito para apurar as circunstâncias da morte de Maria Petrúcia Ribeiro da Silva, de 68 anos, momentos depois de desembarcar do voo JJ 8079, da TAM, que aterrissou no Rio na manhã de sábado (24), procedente de Nova York.

“Estou pedindo o registro das conversas entre o comandante do voo e a torre do aeroporto e a relação nominal de tripulantes, passageiros que viajaram ou desembarcaram próximos a Maria Petrúcia e pessoal do serviço médico do aeroporto”, disse a delegada. O inquérito vai apurar também como desapareceram US$ 8 mil e documentos pessoais da pochete que ela levava consigo.

À tarde, Sandra Williams, de 37 anos, filha da passageira, esteve na delegacia para entregar a pochete e as roupas que a mãe usava quando morreu, e encontrou o tio Antônio Ribeiro da Silva, de 78 anos, que não via desde os cinco anos de idade. Ele soube da morte da irmã pela televisão, ontem (25) à noite, e de manhã procurou o Instituto Médico Legal (IML), de onde foi encaminhado para a Dairj.

A necrópsia concluiu que a mulher sofreu uma trombose venosa profunda, mas não se pode afirmar que tenha sido a causa da morte antes dos resultados dos exames toxicológicos, que demoram entre 15 e 30 dias, como explicou ontem o vice-diretor do IML, Sérgio Simonsen. A hipótese mais provável, conforme as versões de funcionários da empresa aérea, é que Maria Petrúcia tenha morrido depois de desembarcar e antes de receber atendimento da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Segundo essa versão, ela recusou a cadeira de rodas oferecida ainda no avião e seguiu acompanhada por alguém da tripulação. No trajeto pelo corredor móvel de desembarque, encostou na parede e disse: “Acho que vou desmaiar.”

A cadeira de rodas foi levada até ela, que seguiu já inconsciente, enquanto o pessoal da TAM insistia no socorro urgente junto à Infraero. Segundo a nota divulgada pela estatal, a passageira apresentava quadro de parada cardiorrespiratória e foi submetida a manobras de ressuscitação. Levada na ambulância ao serviço médico, teve óbito constatado às 6h10.

As divergências entre as notas oficiais da TAM e da Infraero giram em torno do pedido de atendimento de urgência e dos horários em que os fatos ocorreram. Por isso, a delegada Teresa Pezza pediu a gravação das conversas entre a cabine do avião e a torre de controle. A TAM afirma ter solicitado a emergência às 5h05, quase meia hora antes do pouso. A Infraero sustenta que só às 5h50 foi pedida a presença de médico no avião.

Além das diferenças entre versões e horários, o inquérito tentará esclarecer o que houve com a pochete de Maria Petrúcia. Ela foi guardada juntamente com outros pertences da passageira pelo pessoal da Infraero e passada à empresa aérea, que a entregou a Sandra Williams quando desembarcou de Nova York, ontem.

Sandra constatou que a pochete tinha sido rasgada na base, onde o dinheiro estava escondido num fundo falso. Também cartões de crédito e documentos sumiram. Protegidos pelo anonimato, policiais comentaram que fundos falsos, no geral, sinalizam a intenção de não declarar dinheiro ou produtos ilícitos na passagem pela alfândega.

O embalsamamento do corpo de Maria Petrúcia Ribeiro da Silva será concluído até amanhã (27), quando, então, poderá ser liberado para o sepultamento nos Estados Unidos, onde ela vivia com os três filhos.

( ******************************************************* )

BRASIL SIL SIL SIL SIL SIL....

Vamos ver até que ponto chegaremos...
Cria vergonha na cara povo!!!!!!!!

23 de out de 2009

23/Out: aniversário do 1º voo do "mais pesado que o ar". Parabéns a todos os aviadores

Dia do Aviador

Alberto Santos Dumont foi um brasileiro reconhecido e condecorado em vários países.
Este gênio criativo nasceu em 20 de julho de 1873, em Palmira, hoje chamada Santos Dumont, Minas Gerais.
Ele viu pela primeira vez um balão aerostático numa feira, na cidade de São Paulo, em 1888. Ali mesmo sentiu a sensação de subir com um balão às alturas, que somente aos pássaros era possível.
Depois da morte de seu pai, em 30 de agosto de 1892, mudou-se para Paris, na França. Correu atrás dos seus sonhos e conseguiu em 22 de março de 1898, em sua primeira ascensão aerostática.


Decidido a aperfeiçoar seus balões, fez em julho sua primeira ascensão livre com o balão de nome "Brasil", que mandou construir para seu uso pessoal. No mesmo ano, ainda em 18 de setembro, realizou a primeira experiência com o seu balão dirigível nº 01, sendo a primeira vez que um motor à explosão, adaptado a um veículo aéreo, funcionava no ar.

Na primeira tentativa de decolagem, chocou-se contra as árvores, pois decolou a favor do vento, conforme foi convencido pelas pessoas que assistiam.

Dois dias depois, a 20 de setembro de 1898, decolou contra o vento, conforme sua concepção. Para espanto da assistência, pela primeira vez na história da humanidade, um balão evolui no espaço, propulsionado por um motor a petróleo. Após este evento, aperfeiçoou, sua criação nos dirigíveis 2 e 3.


Entre os dias 25 de julho e 23 de outubro de 1898, no Campo de Bagatelle, em Paris, voou perante a Comissão Fiscalizadora do Aeroclube da França, ganhando a taça ARCH-DEACON, por realizar o primeiro vôo de aparelho mais pesado que o ar. Posteriormente, ele criou o nº 16, usando um motor.

Santos Dumont subvencionava suas atividades aeronáuticas com seu próprio dinheiro. Em 1901, encher um balão de 620 metros cúbicos com hidrogênio custava-lhe aproximadamente US$ 500,00.
Mais tarde foi transformado em biplano. No nº 18, a principal experiência foi um deslizador aquático e a tentativa foi demonstrada no Rio Sena.
Ele estava inclinado a crer que a verdadeira função dos veículos aéreos consistiria no transporte rápido de passageiros, correspondências e cargas. Santos Dumont tentou levar o mundo a partilhar de suas
idéias em vão.
Os homens mais eminentes não as aceitavam e a imprensa, noticiando os seus desastres, apelidava-o de "Santos Desmonta". Em 1902 o Príncipe de Mônaco se ofereceu para construir um hangar, caso Santos Dumont quisesse levar os seus dirigíveis para Monte Carlo, durante o inverno.
Santos Dumont aceitou. O jovem brasileiro, com o seu ar afável e negligente, era visto em jantares com o Príncipe de Mônaco e em ceias com os grandes banqueiros. No mar, as embarcações faziam cortejo em sua honra. Célebres corredores de automóvel aceleravam os seus carros na estrada do litoral, chegando a ultrapassar 60 quilômetros por hora, para acompanhar o seu vôo.

Depois de muitas experiências com aparelhos que eram metade avião, metade balão, Santos Dumont galgou novos êxitos. Em 1906 deu ao mundo a primeira demonstração pública de vôo num aparelho "mais pesado que o ar". (Os irmãos Wright só vieram a voar publicamente em 1908.)
Criou depois os primeiros monoplanos bem sucedidos, construídos de bambu e seda japonesa que não pesavam, incluindo motor e aviador, mais que 110 quilos, os Libélulas.
Em 1909, resvalando pelas cercas e pelas copas das árvores na sua segunda Libélula, bateu um novo recorde, ao alcançar 95 quilômetros num percurso de oito quilômetros. Foi seu último triunfo.
Já em 1909, a aviação começava a escapar das mãos dos inventores para as dos engenheiros e mecânicos. Nos hangares, Santos Dumont encontrava homens mal-educados.
Os homens da aviação só pensavam em corridas e pequenos concursos para ganhar prêmios. Para um homem com a educação requintada e os ideais de Santos Dumont, isso era intolerável. E, por este motivo, retirou-se da arena.

Como ganhador do prêmio Nobel, ele acreditava que as suas invenções haviam de tornar tão terrível a guerra, que os homens não pensariam mais nela. Tal convicção sofreu um rude golpe quando foi declarada a Primeira Grande Guerra Mundial. O aeronauta isolou-se na sua casa, nos arredores de Paris, onde sofreu acessos de neurastenia, atribuindo a si a responsabilidade pelo conflito.
Nos anos que se seguiram ao Armistício, cada desastre de aviação avivava a sua crença de que a dádiva que fizera ao mundo era, na realidade, uma invenção infernal.
Voltando de navio para o Brasil, em 1928, ele presenciou um avião da Condor caindo no mar, matando seus tripulantes. Santos Dumont assistiu aos funerais e, depois, encerrou-se por vários dias num quarto de hotel.


Quando aconteceu o desastre do dirigível R.101, tentou se suicidar. Desde então, os parentes e amigos passaram a exercer estreita vigilância à sua volta. Durante a Revolução Paulista de 1932, Santos Dumont via passar, pelos céus de sua terra natal, a máquina concebida por ele, sendo utilizada como poderoso instrumento de destruição.
Aquele era o mesmo tipo de aeroplano que, um dia, dera a triunfante volta na Torre Eiffel! Um dos sobrinhos que sempre o acompanhava deixou-o sozinho por alguns momentos. Ao voltar, não mais o encontrou com vida.
Ele morreu no dia 23 de julho de 1932, no Guarujá. Desistiu da vida com a mágoa de ver seu invento, criado para servir, sendo usado para destruir o homem.
Seu coração se encontra no salão nobre da Academia da Força Aérea, em Pirassununga, em artístico escrínio de ouro, para que os oficiais que lá se formam possam sentir sua nobreza e seu pulsar indefinidamente, nos corações de todos os brasileiros.


"O avião que você inventou foi para levar a paz e a esperança.
Não pra matar seus irmãos nem para jogar bombas nas minhas crianças.
Foi você quem causou essa guerra, destruiu a terra e seus ancestrais.
Você é chamado de homem mas é o pior dos animais."


O último julgamento
musica de Milionário e José Rico

22 de out de 2009

AIRAC 0910

DOWNLOAD

EUA investigam pouso de avião procedente do RJ em pista de passagem

As autoridades dos Estados Unidos investigaram nesta quarta-feira a razão pela qual um avião da companhia Delta procedente do Rio de Janeiro aterrissou na seção de passagem do aeroporto de Atlanta, em vez de em uma pista normal.
O incidente ocorreu na segunda-feira (18) de manhã (hora local), e nenhum dos 183 passageiros e 12 membros da tripulação do Boeing 767-300 ficou ferido, porque, naquele momento, não havia nenhum outro aparelho na pista de passagem.

A Administração Federal de Aviação (FAA) e o Conselho Nacional de Segurança no Transporte estão investigando o caso.

A Delta também abriu sua própria investigação e suspendeu das funções o piloto e o copiloto, até que se determine o que aconteceu.

O voo DL-60 da companhia deveria ter aterrissado na pista 27R, marcada com luzes brancas, mas, em vez disso, pousou na pista de passagem M (taxiamento), indicada por luzes azuis e usada pelos aviões para se deslocar até o portão de desembarque.

As duas pistas têm o mesmo comprimento e são paralelas.

Pouco antes da aterrissagem, por volta das 6h local, o piloto tinha declarado uma emergência médica no avião, da qual não foram divulgados detalhes.

No entanto, essa circunstância não deveria ter levado o aparelho a pousar na pista de passagem, segundo as autoridades.



( *************************************************************** )

Relembrando conhecimentos de Regulamentos de Tráfego Aéreo:
essa circunstância pode sim levar o aparelho a pousar na área de manobras!
Porque??

"Uma Autorização especial para o uso da área de manobras poderá ser dada à(s) aeronave(s):
a)em emergência ( falha no motor, escassez de combustível, etc...);
b)quem transportem enfermos ou feridos graves, que necessitem de atendimento médico urgente.

NOTA: As autorizações citadas incluem pousos e decolagens na pista de taxi e pouso em pista não homologada para a operação pretendida.


agora se a torre autorizou ou não é outra história.
e quem manda na situação é o CMTE.
Lembrando do que aconteceu com Airbus que pousou no rio Hudson o mesmo foi sugerido uma vetoração para o retorno ao aeródromo ou outra pista e o CMTE disse o que?

"ESTAMOS INDO PARA O HUDSON"


Airbraços!

21 de out de 2009

Queda de avião mata ao menos seis nos Emirados Árabes Unidos


CHARJAH - Um avião de carga sudanês caiu nesta quarta-feira logo após a decolagem nas proximidades do aeroporto de Charja, ao norte de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, matando as seis pessoas que estavam a bordo.

O Boeing 707 caiu em uma área não povoada a cerca de três quilômetros do aeroporto sem deixar vítimas em solo, afirmou Khalid al-Qassimi, diretor do departamento de aviação civil de Charjah.
Al-Qassimi afirmou que a tripulação da aeronave não sobreviveu à queda, mas a área do acidente é "uma região de deserto sem prédios".

De acordo com a edição digital do jornal "The National", o acidente aconteceu nos arredores do aeroporto, quando a aeronave acabava de decolar.

Testemunhas citadas pela edição digital do jornal "The National" disseram que os bombeiros foram imediatamente ao local.

Aeroclubes podem firmar convênios com a ANAC para 240 bolsas de estudos para pilotos

Brasília, 31 de agosto de 2009 – Aeroclubes de todo o Brasil podem celebrar convênios com Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para a formação de pilotos de 18 a 35 anos para a aviação civil. A ANAC irá oferecer bolsas de estudo custeando 75% das aulas práticas para cursos de Piloto Privado e Piloto Comercial. As entidades interessadas deverão estar credenciadas no Sistema de Gestão de Convênios (Sincov), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, e atender aos requisitos da legislação. Os aeroclubes com interesse de participar da seleção podem inscrever suas propostas até, no máximo, dia 9 de outubro.

Serão 240 bolsas de estudo, sendo 126 para os cursos práticos de Piloto Privado (que se conclui com 40 horas de voo) e 114 para o curso de Piloto Comercial (150 horas de voo). A duração dos cursos é de até 12 meses. Serão investidos R$ 3 milhões para a realização das parcerias com os aeroclubes, com recursos do Programa de Desenvolvimento da Aviação Civil, do Ministério da Defesa.

A ANAC analisará os planos de trabalho dos aeroclubes e serão escolhidos aqueles que possuírem as melhores condições técnicas para a realização das aulas práticas. Após a celebração dos convênios, que devem ocorrer até o final do ano, haverá o processo de seleção para os candidatos em 2010. Para concorrer às bolsas de estudos, os candidatos deverão ter sido aprovados no curso teórico e pelo menos 25% das horas de voo já concluídas.

A ANAC fará o acompanhamento, a assessoria e a fiscalização dos aeroclubes conveniados. De acordo com a necessidade, serão realizadas visitas sem prévio aviso nas entidades proponentes, para verificar as informações prestadas e para a fiscalização da formação dos alunos bolsistas.
Os convênios para formação de pilotos ajudam no desenvolvimento da aviação civil, além de contribuir para evitar uma eventual escassez de mão-de-obra especializada no futuro para a aviação comercial e privada no Brasil.

Em 2008, em parceria com 11 aeroclubes do Rio Grande do Sul, a ANAC ofereceu 71 bolsas de estudo para cursos de Piloto Privado e 64 para Piloto Comercial, incluindo algumas mulheres.

O projeto de bolsas de estudo é direcionado a jovens de 18 a 35 anos que pretendam concluir o curso de Piloto Privado ou de Piloto Comercial. Os candidatos já deverão ter realizado pelo menos 25% das horas previstas no curso desejado e terão de passar por um processo seletivo que contempla uma prova teórica e uma avaliação prática de proficiência em aeronave de instrução.
Neste momento, a ANAC está em fase de seleção das entidades (aeroclubes) que poderão participar deste processo, de forma a garantir um elevado nível de qualidade e segurança durante o todas as etapas do treinamento.

A fase de seleção dos candidatos deve começar até o final do ano, tão logo sejam celebrados os convênios para transferência dos recursos financeiros para as entidades escolhidas.

Por favor, mantenha-se informado através da página da ANAC na Internet para futuras orientações quanto à seleção de pilotos.

Para informações adicionais e esclarecimentos, favor entrar em contato com o Setor de Convênios, através dos telefones: (61) 3366-9518/ (61) 3366-9448.

( ****************************************************************** )

SE LIGA ANAC....
AINDA É POUCO! muito pouco inclusive!!!
doe aeronaves aos aeroclubes que necessitam muito...
inspecione aeroclubes, aeronaves de instrução e CHT de mecânicos...
reduza o preço das horas de vôo e inspecione melhor o preenchimento das cadernetas de vôo porque canetas estão comendo solto por aí!
faça por onde essa escassez de tudo para aviação no Brasil melhorar!

Steve ray and Steve Wonder " Superstition "

ANAC: Comunicado SAR


Processos de aeronaves experimentais, de construção amadora e de ultraleves

A Superintendência de Aeronavegabilidade (SAR) informa que a partir de novembro de 2009 a documentação relativa aos processos de aeronaves experimentais, de construção amadora e de ultraleves deve ser remetida para a Divisão de Aeronavegabilidade São paulo (DAR-SP), no seguinte endereço:

Superintendência de Aeronavegabilidade - SAR
Divisão de Aeronavegabilidade São Paulo - DAR-SP
Avenida Washington Luis, S/N, Aeroporto de Congonhas
CEP 04626-011, São Paulo, SP

Todo documento remetido à ANAC é devidamente encaminhado ao setor responsável, independente de sua localização, ou seja, os processos relativos à construção amadora poderão ser protocolados no Rio de Janeiro, Brasília, São José dos Campos ou em qualquer Unidade Regional da ANAC, mas serão processados e arquivados no endereço acima citado.

Mais informações pelo telefone (11) 5033-5320 ou pelo e-mail dar.sp.91@anac.gov.br.

fonte: jorge tadeu

Jimi Hendrix

HÉLICES

As hélices podem ser de passo fixo, de passo ajustável ou de passo variável.
O passo da pá ou ângulo da pá pode ser entendido quando compararmos com o ângulo de incidência de um aerofólio. Ou seja, o passo da páem uma hélice de passo fixo, é o ângulo formado entre a corda do perfil da pá e o plano de rotação, e não varia (fixo).
O ângulo de ataque é formado pela linha da corda do perfil da pá e a linha de trajetória do fluxo da massa de ar do vento relativo gerado como resultante entre o plano de rotação e o deslocamento da aeronave.
O ângulo de ataque na nossa hélice de pás de passo fixo varia com a variação da rotação da hélice e com a variação da velocidade da aeronave. O aumento da velocidade da aeronave com a rotação da hélice constante o ângulo de ataque diminui. Com o aumento da rotação da hélice sem ganho no deslocamento o ângulo de ataque aumenta.
Aumentando rotação da hélice e velocidade da aeronave de forma proporcional é possível manter o mesmo ângulo de ataque.
Observe o triângulo retângulo formado com os lados (catetos) representados pela velocidade da aeronave e velocidade de rotação, e a hipotenusa formada pela resultante, que corresponde a direção do fluxo do ar. É possível modificar o ângulo de ataque alterando o desenho do triângulo, ou melhor, alterando-se as velocidades (de rotação e da aeronave).

20 de out de 2009

Wilco 737-300 FSX




DOWNLOAD

SEMANA DO AVIADOR

De 19 a 23 de outubro, a história dessa profissão é homenageada no Brasil. Não há outra época do ano mais adequada para se falar de aviação do que em outubro. Afinal, cinco dos 31 dias do mês estão reservados em todo o país para duas homenagens a essa atividade: a Semana da Asa e o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

Uma história que, para nós, começou há mais de um século, na tarde do dia 23 de outubro de 1906, quando o 14 Bis de Santos Dumont decolou sozinho do Campo de Bagatelle, em Paris, na França.

30 anos depois, o então presidente da República, Getúlio Vargas, sancionou a Lei nº 218, instituindo no Brasil o Dia do Aviador.



Fonte: Aviação Brasil

15 de out de 2009

Base Aérea de Brasília terá demonstração da Esquadrilha da Fumaça no "Sábado Aéreo"


A Base Aérea de Brasília (BABR) realiza no próximo dia 17, das 9h às 17h, o tradicional evento “Sábado Aéreo”.

A Esquadrilha da Fumaça vai se apresentar durante o evento. Haverá também exposição de aeronaves, equipamentos militares e paraquedismo. O acesso é gratuito.

Quem doar um quilo de alimento não perecível concorre a um voo panorâmico a ser realizado na mesma data. O material arrecadado será distribuído para entidades assistenciais no Distrito Federal, como ocorre a cada ano.

BABR - Setor Militar do Aeroporto de Brasília - Das 9h às 17h


Fumaaaaaçaaaaaaaaaaaaaaa..........

Joe Satriani "Up in flames"

14 de out de 2009

quem não chora não mama...


A Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) enviou um ofício a Lula cheio de queixas contra a Anac.

Reclama da "desnacionalização da aviação comercial" e do "desmonte da administração da infraestrutura aeroportuária".

Fonte: Alcelmo.com (O Globo)

SBCT Gustavo Luna

DOWNLOAD

13 de out de 2009

Aeroporto de Manchester testa máquina de raio-x que expõe passageiros nus


O aeroporto de Manchester, na Grã-Bretanha, iniciou nesta semana testes com uma máquina de raio-x que mostra os passageiros “pelados”, para acelerar o processo de checagens de segurança e procurar armas ou explosivos escondidos.

Na semana passada, autoridades francesas alertaram que a rede al-Qaeda estaria desenvolvendo supositórios explosivos para cometer atentados suicidas.

O aparelho revela rapidamente se há algo escondido, mas o raio-x de corpo inteiro também mostra implantes nos seios, piercings e um claro contorno, em perto e branco, das partes íntimas do passageiro.

O aeroporto ressaltou que as imagens não são pornográficas ou eróticas, serão vistas por apenas um funcionário, em um local remoto, e serão destruídas logo após o exame. Sarah Barrett, chefe do departamento de clientes do aeroporto, afirma que elas não podem ser arquivadas, capturadas ou copiadas. O rosto dos passageiros também não aparece.

Barrett afirma que a maioria dos passageiros não gosta das revistas feitas com as mãos, e lembra que o aparelho acaba com a necessidade de o passageiro tirar o casaco, cinto ou sapatos para a checagem de segurança. Os passageiros, no entanto, podem se recusar a passar pela máquina.

Os aparelhos de raio-x custam 80 mil libras (cerca de R$ 220 mil). Eles funcionam lançando ondas eletromagnéticas nos passageiros enquanto estes aguardam em uma cabine. Uma imagem virtual tri-dimensional é criada a partir da energia refletida.

Segundo o aeroporto, os níveis de radiação são “extremamente seguros” e os passageiros não precisam se preocupar.

Dentro de um ano, o Departamento de Transportes deverá decidir se vai adotar a tecnologia permanentemente.

O aparelho, fabricado pela RapiScan Systems, já foi testado em aeroportos em Nova York, Los Angeles e Londres, em 2004.

9 de out de 2009

LONG LIVE LYNYRD SKYNYRD

8 de out de 2009

Forte chuva causa destruição no Aeroporto de Rio Branco (AC)




No início da tarde desta quarta-feira (7), uma forte chuva trouxe destroços no Aeroporto Internacional de Rio Branco, no Acre.
Um avião que vinha de Cruzeiro do Sul-AC teve dificuldades para pousar por causa de fortes ventos. Dois aviões de médio porte e dois de pequeno porte que encontravam-se no aeroporto foram danificados, deles um avião bi-motor virou, os vidros a torre e do mirante quebraram. No mirante algumas pessoas que aguardavam chegada do voo ficaram feridas, os vidros não suportaram a força dos ventos e quebraram.

Uma parte da cerca de contenção caiu, o telhado do aeroporto e dois hangares também desabou, o aeroporto encontra-se sem iluminação.

Os voo da empresa TAM e GOL estão atrasados. O tempo estimado para o retorno do aeroporto voltar funcionar 100% é de aproximadamente 15 dias.

"Os prejuízos são muitos. Precisaremos de pelo menos uma semana para construir tudo que foi destruído. Estamos trabalhando para que possamos operar normalmente em uma hora", disse Daniel Sobrinho, superintendente da Infraero no Acre.

"Foram cinco minutos de muito terror. Crianças, mulheres, homens e idosos tiveram que correr e tentar se proteger. Estava indo para Cruzeiro do Sul, mas desisti", disse Flaviana Paiva, de 39 anos.


fonte: desastresaereosnews

7 de out de 2009

Aeroboero, pouso forçado em Goiânia


O avião monomotor Aero Boero AB-115, prefixo PP-GNU, do Aeroclube de Goiânia, fez um pouso forçado na Avenida Principal do Vereda dos Buritis atrás da Estação da Celg, na região norte de Goiânia, por volta das 8h desta terça-feira (6).

Viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas pelos moradores do bairro ás 8h10 para prestar socorro, sendo elas de resgate, busca e salvamento. Ao chegarem ao local, não tiveram muito trabalho, pois instrutor e aluno estavam bem, sem ferimentos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o avião havia acabado de decolar do Aeroclube e o instrutor, ao perceber um problema na aeronave, decidiu pousar numa rua com poucas casas.

Peritos da Infraero foram ao local para periciar o monomotor.

6 de out de 2009

pacote FSX realair




Super decathlon, zenit estol e um anphibio de brinde....

DOWNLOAD

5 de out de 2009

Sêneca....pouso forçado em Campinas


O avião bimotor Embraer EMB-810C Seneca, prefixo PR-ETT, fez uma aterrissagem forçada no aeroclube do Aeroporto Estadual Campo do Amarais, em Campinas (SP), na tarde deste domingo (4).

De acordo com a assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave vinda de Blumenau (SC) apresentou problemas no trem de pouso no momento em que se preparava para aterrissar em Campinas.

Ainda segundo a FAB, o aeroclube permaneceu fechado entre 15h50 e 17h40 para manutenção. Ninguém ficou ferido, foram registrados apenas danos materiais no avião.

Zlin Z-142 Fsx


monomotor para treinos....
parece um zarapa...rs


CLIQUE AQUI