30 de nov de 2010

Trapalhada de copiloto faz avião despencar 2 mil metros


A trapalhada de um copiloto foi, segundo um relatório, a causa do incidente no qual um Boeing da Air India Express despencou cerca de 2 mil metros e colocou em risco a vida dos 113 passageiros e da tripulação a bordo.

Relatório do órgão regulador da aviação na Índia aponta que o copiloto, de 25 anos, esbarrou o joelho na coluna de controle da aeronave no momento em que o comandante havia saído para ir ao banheiro.

Em pânico, o copiloto não soube o que fazer e não tomou nenhuma ação para permitir a entrada do piloto no cockpit. O comandante teve de utilizar uma senha especial para entrar, desperdiçando 30 preciosos segundos.

O relato do incidente, reconstruído a partir das análises dos dados da aeronave, dos diálogos registrados e do testemunho dos próprios envolvidos, faz parte de um relatório da Diretoria-Geral de Aviação Civil (DGCA), divulgado na imprensa indiana.

O voo IX-212 percorria a rota entre Dubai e a cidade indiana de Pune. O Boeing 373 sobrevoava o espaço aéreo de Mumbai a mais 11 mil metros de altitude no dia 26 de maio deste ano, quando deu início a uma trajetória de queda livre.

"O relatório diz que o copiloto admitiu ter entrado em pânico durante o incidente. Se alguém entra em pânico e congela quando está no controle, é de se perguntar a razão de ele estar no cockpit", disse ao "Indian Express" o consultor de segurança aérea A. Ranganathan.

Segundo o relatório, a aeronave despencou mais de 600 metros até o capitão entrar na cabine. Durante a operação de emergência, foram mais 1,4 mil metros de queda.

Ninguém ficou ferido, mas houve pânico na cabine e bebidas e alimentos foram lançados pelos ares.

Sucessão de erros

O "Hindustan Times" observou que, mesmo após voltar para a cabine, e tendo colocado a aeronave de volta no curso correto, o piloto da Air India Express cumpriu um procedimento arriscado, o de puxar com força o controle do avião - o que poderia ter feito colapsar outros controles da aeronave.

Além disso, o piloto não havia pedido ao seu braço direito que mantivesse os cintos afivelados durante sua ausência.

Na aviação internacional, a norma é que, ao deixar o cockpit, o piloto peça a um membro experiente da tripulação que fique do lado de dentro, para facilitar a entrada do comandante em caso de emergência.

O episódio levou o órgão indiano de aviação a recomendar as "providências cabíveis" no caso, o que os jornais consideram se tratar de mais treinamento para os funcionários da empresa.

Investigações recentes afirmaram que erro humano também foi a causa do acidente que matou 158 pessoas em um voo da Air India, a companhia prinicipal do mesmo grupo estatal, quatro dias antes, no dia 22 de maio.

O inquérito atribuiu a causa do acidente ao piloto "sonolento", que estaria "desorientado" por ter dormido durante a maior parte do voo de três horas.

O avião, também um Boeing 737, aterrissou em Mangalore em altura e ângulo errados. A aeronave saiu da pista, bateu em um barranco e pegou fogo. Apenas oito pessoas sobreviveram.

29 de nov de 2010

Governo brasileiro negocia compra de novo avião presidencial


Sem alarde para evitar a repetição da polêmica que envolveu a compra do Aerolula, o governo negocia a aquisição de um avião maior e mais caro que poderá servir à presidente eleita, Dilma Rousseff, e a seus sucessores.

O Aerodilma, caso seja adquirido mesmo com o cenário de contenção de gastos do governo, deverá ser um aparelho europeu da Airbus um modelo de reabastecimento aéreo A330-MRTT, equipado com área VIP presidencial e assentos normais.

O avião custa até cinco vezes os US$ 56,7 milhões (R$ 98 milhões na sexta-feira) pagos em 2005 pelo Aerolula, um Airbus-A319 em versão executiva.

Justificar tal despesa seria complicado, como foi em 2005, e seria fonte certa de desgaste para Dilma, que até onde se sabe não foi informada sobre a ideia. Assim, juntou-se a fome com a vontade de comer, e a nova compra está sendo camuflada por uma necessidade real.

A FAB (Força Aérea Brasileira) precisa substituir seus dois aviões grandes de reabastecimento. São os antigos Sucatões presidenciais, versões com quase 50 anos de uso do vetusto Boeing-707.

Por falta de condições, foram excluídos do último grande exercício aéreo da Força Aérea Brasileira.

No fim da década, os militares estimam ter 150 caças, e reabastecimento é vital dadas as distâncias do país.

Como no caso dos Sucatões, o novo avião poderia cumprir a tarefa de reabastecimento e ser o aparelho de transporte intercontinental dos presidentes. Para viagens internas, o governo já usa dois Embraer-190.

Interior da aeronave Airbus A319CJ utilizado pelo Presidente Lula. (Foto: Agência Brasil)
Do lado da Presidência, segundo a Folha apurou, o problema é o Aerolula. O presidente Lula reclama da necessidade de paradas para reabastecimento do avião, que tem cerca de 8.500 km de autonomia o que não garante um voo tranquilo Brasília-Londres, por exemplo.

Não deixa de ser irônico, já que à época da compra do Aerolula uma das alegações para a aquisição do modelo europeu era que ele poderia fazer voos intercontinentais que os similares da Embraer não poderiam. Meia verdade: sua lista de destinos sem escala não é tão grande.

Já o A330-MRTT pode voar até 12,5 mil km sem reabastecer, podendo viajar sem escalas de Brasília a todas as capitais europeias e americanas. Não é comparável como produto com o Aerolula, modelo só de transporte VIP.

Na compra de cinco Airbus em 2008, a Austrália pagou quase US$ 300 milhões (R$ 519 milhões) a unidade. Os EUA chegaram a selecionar o modelo em uma concorrência que acabou suspensa, e pagariam algo como US$ 200 milhões (R$ 346 milhões) por avião. Mas cada venda é diferente. No caso americano, eram quase 200 aeronaves com especificações diferentes, o que dilui custos. Então, os preços citados são apenas referência.

Uma versão executiva do A330, sem ser avião-tanque, foi estreada neste mês pelo presidente francês Nicolas Sarkozy. Ganhou, além das críticas pelos R$ 400 milhões gastos, o apelido de “Air Sarkô” na França.

Em setembro, a FAB emitiu o pedido de propostas à fabricante EADS europeia (A330-MRTT), à Boeing americana (767) e para a israelense IAI (que adapta os 767). Não há previsão orçamentária, e verbas extras terão de ser aprovadas no Congresso.

O pedido requer duas aeronaves. Uma com capacidade de reabastecimento em voo, transporte de carga e de passageiros. A outra, tudo isso mais a previsão de uma área VIP -normalmente, uma suíte com chuveiro.

Cama a disposição do avião presidencial brasileiro, o A319CJ.
Segundo a Folha apurou, a Boeing não cogita participar da disputa enquanto não for definido qual avião será escolhido nos EUA, o 767 ou o A330. A IAI é vista sem grandes chances na FAB.

Sobram então os europeus. Procuradas, EADS e Boeing alegaram sigilo do pedido da Aeronáutica para não se manifestar. A IAI não respondeu ao contato. Oficialmente, a FAB apenas confirma que emitiu o pedido de propostas, e que até aqui só a EADS respondeu.

Se a compra ocorrer em 2011, estima-se que o primeiro avião seja integrado até 2014. O Aerodilma só voaria então no fim do mandato da presidente, deixando o apelido que carregaria após 2015 para especuladores.

26 de nov de 2010

Aeroporto Internacional de Cabo Frio recebe voo do Antonov com helicóptero a bordo


O maior avião cargueiro do mundo, o Antonov 124, da companhia russa Volga Dnepr, pousará no dia 25 de novembro (quinta-feira), às 9 horas, no Aeroporto Internacional de Cabo Frio, proveniente da Escócia, trazendo a bordo um Helicóptero de grande porte, modelo HC 225. O aparelho pertence à empresa BHS e será usado no transporte de pessoal e equipamentos entre Cabo Frio e as plataformas da Bacia de Campos.

O Aeroporto de Cabo Frio, que se tornou uma importante base de importação para a indústria petrolífera de Campos, graças à sua localização estratégica e às suas grandes áreas de alfândega e armazenamento, é o único aeroporto público brasileiro administrado pela iniciativa privada com voos internacionais regulares de carga e de passageiros.

O Aeroporto de Cabo Frio conta com um pátio para aeronaves de 30.400 metros quadrados, além de 60 mil metros quadrados de área alfandegada e um galpão coberto de 16 mil metros quadrados. Está estrategicamente localizado a apenas 60 Km de Macaé, onde se concentra a indústria do petróleo; e a 140 Km do Rio, 550 Km de São Paulo, 530 Km de Belo Horizonte e 400Km de Vitória.
Sua pista tem 2.560 metros de comprimento por 45 metros de largura – maior do que a do Santos Dumont e a de Congonhas –, o que tem permitido que os maiores aviões de carga do mundo operem com segurança em Cabo Frio, como o Antonov 124, o Boeing 747 “nose door” (Jumbo), os Beoings 777 e 767, o MD-11, o DC-10 e o DC-8 (fotos no site [www.aeroportocabofrio.com.br].

Graças ao seu entreposto alfandegário e à sua grande área de armazenagem, o aeroporto consolidou-se como base para a importação de equipamentos destinados à indústria petrolífera de Campos, sediada em Macaé. Mais de 80 empresas, a grande maioria de multinacionais, fornecedoras das companhias petrolíferas que prospectam e produzem petróleo em Campos, utilizam o aeroporto com esse propósito.

BHS e Aeróleo, empresas de transporte aéreo por helicóptero, montaram bases no aeroporto para o transporte de equipamentos e pessoal da Petrobrás, da OGX e da Maersk Oil, realizando mais de 30 voos diários para as plataformas da Bacia de Campos.

24 de nov de 2010

TAM testa com sucesso 1º voo experimental com biocombustível

Um avião da TAM fez o primeiro teste de voo com combustível feito de pinhão. A economia foi de 2%, o que pode levar a empresa a deixar de queimar 44 milhões de litros de querosene de petróleo.

A companhia aérea TAM, a maior do Brasil, realizou com sucesso o voo experimental de um avião movido a biocombustível, o primeiro teste feito na América Latina, anunciou a empresa nesta terça-feira.

A aeronave, um Airbus A320 com capacidade para 174 passageiros que a companhia usa para voos internos, voou na segunda-feira durante 45 minutos sobre o Oceano Atlântico graças a um combustível vegetal baseado em pinhão manso ("Jatropha curcas").

O voo de teste, que decolou e aterrissou no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, foi autorizado pela Agência Europeia de Segurança na Aviação (Easa, na sigla em inglês) e pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O presidente da TAM, Líbano Barroso, declarou que o primeiro voo com biocombustível concretiza a vontade da companhia de participar de projetos ecológicos que permitam, no futuro, iniciar uma cadeia produtora de biodiesel que funcione de forma estável no Brasil.

Nesse sentido, na próxima fase do projeto será iniciada uma plantação de pinhão manso em pequena escala na qual se realizarão estudos da viabilidade, que servirão para definir a implantação de uma cadeia em grande escala no Brasil.

"A produção do biocombustível como matéria-prima brasileira trará grandes benefícios econômicos e sociais para o país, além de contribuir para a redução da emissão de gases poluentes derivados do setor da aviação", assegurou Barroso.

Segundo o comunicado, a biomassa utilizada para produzir o biocombustível é de produção brasileira, obtida em projetos de agricultura familiar e de grandes plantações do interior do país.

Após a colheita, as sementes de pinhão manso são tratadas para obter óleo semirrefinado, material que posteriormente é tratado, transformado em bioquerosene e misturado com querosene convencional em partes iguais.

Segundo estudos da Universidade Tecnológica de Michigan, nos Estados Unidos, os biocombustíveis produzidos com pinhão manso podem reduzir as emissões de carbono entre 65% e 80%.

No Brasil, um dos países incentivadores do biocombustível para o setor da aviação na América Latina, existem 60 mil hectares de cultivo de pinhão manso, de acordo com a associação de produtores.

23 de nov de 2010

Paulo Medina - take you for a little ride!!!

Aeroporto no Brasil é "desastre", diz associação mundial de aéreas

principal associação mundial de companhias aéreas censurou ontem o Brasil por deficiências de infraestrutura que ameaçam o fluxo de passageiros na Copa de 2014 e na Olimpíada de 2016.

Impostos e taxas no país e na região também foram questionados como um obstáculo à operação, assim como riscos à segurança.

"O Brasil é a maior economia da América Latina e a que cresce mais rápido, mas sua infraestrutura é um desastre crescente", afirmou o presidente da Iata, Giovanni Bisignani, em discurso distribuído à imprensa.

Bisignani, que falou no fórum da Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe, no Panamá, alertou para a demanda que virá com os megaeventos esportivos e exortou autoridades e empresas nacionais a prepararem um plano "se quiserem evitar vexame".

"O relógio está correndo e eu não vejo muito progresso", afirmou. "Dos 20 maiores aeroportos domésticos do Brasil, 13 não conseguem acomodar as demandas em seus terminais. E a situação em São Paulo é crítica."

A maior preocupação da Iata é o Aeroporto Internacional de Guarulhos. A associação criticou a decisão da Infraero, depois revertida, de fechar uma das pistas no próximo ano. A capacidade atual do aeroporto é insuficiente para o crescimento da demanda.

Outro ponto levantado foi o aumento tributário. A Iata relata este como um problema da região, mas destaca o Brasil, o Chile e o Peru ao falar de países cuja competitividade no setor é fortemente afetada pelos impostos.

"É por causa dos altos impostos que esses países são listados, respectivamente, como 45º, 57º e 74º no índice de viagem e turismo do Fórum Econômico Mundial." A lista é liderada pela Suíça.

Grandes expectativas

Apesar das críticas, a Iata festejou a fusão da TAM com a LAN Chile, um negócio estimado em US$ 14 bilhões em capitalização de mercado, quase o triplo do que é estimado para outra megafusão, a da British Airways com a espanhola Iberia.

A associação está aumentando seu investimento no Brasil e nomeou Carlos Ebner, ex-presidente da OceanAir (hoje Avianca) e ex-diretor financeiro da Varig, como diretor para o Brasil a partir de dezembro.

O movimento aéreo na América Latina (número de voos) deve crescer acima da média global: 15,2% no ano e 6,1% no ano que vem, após fechar 2009 no zero a zero. Em receita, a alta estimada é de 5% e 3,2%, também acima da média do resto do mundo.

Fonte: Luciana Coelho (Folha.com)

17 de nov de 2010

Gol encomenda mais 30 aviões para a Boeing por US$ 2,7 bilhões

Aeronaves devem ser entregues entre 2014 e 2017

A Gol aproveitou a conferência de resultados para anunciar, também, a assinatura de mais um contrato com a Boeing. A companhia encomendou 30 aeronaves B737-800 NG. O acordo foi assinado nesta semana e soma 2,7 bilhões de dólares. Os aparelhos devem ser entregues entre 2014 e 2017.

Segundo o presidente da companhia, Constantino de Oliveira Júnior, o modelo para financiar os aparelhos anunciados nesta sexta-feira (12/11) ainda não está fechado. “Só vamos definir isso num período mais próximo do início das entregas”, afirmou. Entre as alternativas, estão a contratação de financiamentos de longo prazo ou a utilização de recursos do Eximbank.

A empresa não descarta, também, a estruturação de alguma operação para captar os recursos no mercado. “Não existe pressão ou previsão para captar recursos, mas se houver alguma operação, estará relacionada às aeronaves”, afirmou o diretor de Relações com Investidores da Gol, Leonardo Pereira. “Mas pode ser que a gente decida utilizar o caixa da companhia”, disse.

Impacto no caixa

Segundo Constantino, as novas encomendas vão gerar pouca pressão sobre o caixa até o início das entregas. Com o contrato anunciado hoje, a empresa passa a contar com um total de 104 pedidos firmes e mais 40 opções de compra, todas assinadas com a Boeing. Os modelos são os B737-700 NG e o B737-800 NG.

Essa carteira de pedidos gera uma previsão total de desembolsos de 16,176 bilhões de reais, dos quais 14,178 bilhões referem-se à aquisição dos aparelhos, e 1,997 bilhão, ao depósito antecipado para as entregas.

No próximo ano, a renovação e ampliação da frota da Gol deverá gerar desembolsos de 1,092 bilhão de reais, mais que o dobro dos 490 milhões previstos para 2010.

No final de setembro, a empresa contava com uma frota total de 121 aeronaves, das quais, 112 em operação.

Corpo de piloto boliviano é encontrado 20 anos após acidente


O corpo de um piloto comercial boliviano, bisneto de um herói da Guerra do Chaco do século passado, foi encontrado 20 anos depois de um acidente aéreo na cordilheira dos Andes, perto de La Paz, informou a mídia local nesta quinta-feira.

Benjamín Pabón Galindo tinha 27 anos quando o avião que ele pilotava transportando carne bovina a partir da Amazônia para o altiplano andino desapareceu na cordilheira.

"Jamais perdi a esperança, tinha fé, e graças a Deus podemos dar a ele um enterro cristão", disse a repórteres a mãe do piloto, Yolanda Galindo, de acordo com a imprensa boliviana.

Jornais do país disseram que o corpo do piloto foi encontrado quase intacto no monte nevado Huayna Potosí, muito popular entre alpinistas, e ainda estava preso ao assento do avião por um cinto de segurança.

Não houve informações sobre os corpos dos outros membros da tripulação do antigo avião bimotor que sofreu o acidente cerca de 15 minutos antes de chegar a La Paz.

Pablón Galindo era bisneto de Rafael Pabón, primeiro piloto militar boliviano que teve atuação de destaque na Guerra do Chaco contra o Paraguai, na década de 1930.

16 de nov de 2010

Dois morrem em queda de pequeno avião em SP



O instrutor Rafael Giacon (22) e o passageiro João Mendonça (18)
Avião de pequeno porte caiu após decolagem em Bragança Paulista.
Voo em que jovens morreram em SP era presente de aniversário
Pai do rapaz observava do solo, passou mal e teve de ser hospitalizado.
O voo que deixou duas pessoas mortas na tarde desta segunda-feira (15), em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, era um presente de aniversário para o rapaz que havia acabado de completar 18 anos. Era a primeira aula dele.

João Mendonça foi ao aeroclube de Bragança com a família para voar com o instrutor Rafael Giacon Cunha, de 22 anos. Segundos após decolar, a aeronave perdeu sustentação, caiu e pegou fogo. João e Rafael morreram carbonizados.

O pai, que observava o voo em solo, passou mal e teve que ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros. Ele foi encaminhado para um hospital de Bragança Paulista e teve de ser internado.

12 de nov de 2010

Os voos mais lotados do Brasil

A rota mais disputada pelas companhias aéreas do país é a ponte aérea Rio-São Paulo, que liga os aeroportos Santos Dumont e Congonhas. Este vôo, contudo, está longe de ser o que tem a melhor taxa de ocupação do país. Levantamento inédito feito pela Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, revelou que os aviões mais cheios que decolaram no Brasil em 2009 fizeram a rota Guarulhos – Recife, com 78% de lotação. A ponte aérea Rio – São Paulo aparece em um modesto sétimo lugar.

Confira abaixo as rotas com maior taxa de ocupação:

1. Guarulhos-Recife – 78%

2. Guarulhos-Salvador – 75%

3. Galeão-Salvador – 72%

4. Galeão-Brasília – 67%

5. Congonhas-Brasília – 64%

6. Congonhas-Confins – 63%

7. Congonhas-Santos Dumont – 58%

8. Guarulhos-Galeão – 58%

9. Guarulhos-Porto Alegre – 53%

10. Congonhas-Curitiba – 53%

10 de nov de 2010

Avião com cinco pessoas cai em Porto Murtinho (MS)



O avião Cessna, matrícula paraguaia ZP-VCQ, caiu na fazenda Quebracho, em Porto Murtinho, cidade distante 431 quilômetros de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

As cinco pessoas que estavam na aeronave sobreviveram ao acidente aéreo ocorrido no fim da tarde desta segunda-feira (8).

Segundo a PM (Polícia Militar), o piloto paraguaio, Francisco Javier Arguero, 33 anos, alegou que o avião perdeu força e ele não conseguiu fazer o pouso.

A aeronave caiu na vegetação e ficou completamente destruída.

Das vítimas, Willian Martins Spence, 39 anos, foi o que teve ferimentos mais graves. Ele sofreu fratura no braço.

Também ficaram feridos: André Alves Outeiro, 31 anos, o irlandês Sean Paul Preston, 31 anos, e o búlgaro Mirchov Estayanov, 38 anos.

À Polícia, o piloto disse que trouxe os estrangeiros a Mato Grosso do Sul para avaliarem uma área que têm interesse de comprar.

'Vítimas sobreviveram por milagre'
Há 23 anos trabalhando nesta região, nunca vi um acidente tão feio e fiquei mais impressionado ainda por saber que todos saíram com vida”. Foi assim que o sargento do 3º batalhão da Polícia Militar de Porto Murtinho se referiu à queda da aeronave paraguaia Cessna prefixo ZP-VCQ por volta das 16h desta segunda-feira em uma mata da região. Dois brasileiros, Willian Martins Spence, 39 anos, de Rio Brilhante, André Alves Olteiro, 31 anos, de Inocência estavam no vôo acompanhando o irlandês Cean Paul Preston, 31 anos e o búlgaro Mirchev Mircho Stayanov, 38 anos, que segundo relato policial sobrevoavam a região em busca de conhecer o local que pretendiam adquirir. A aeronave era conduzida pelo piloto paraguaio Francisco Ravier Aguero, 32 anos.

De acordo com informações policiais, peões da fazenda ao lado avistaram o momento da queda da aeronave e informaram bombeiros e policiais civis e militares que se deslocaram rapidamente até o local para as buscas. Eles foram encaminhados ao Hospital Municipal Oscar Ramires onde receberam os primeiros socorros e liberados. Em seguida foram levados até a delegacia local de polícia civil onde prestaram esclarecimentos sobre o caso. Nenhum deles apresentou ficha criminal e por isso foram liberados. A aeronave ficou totalmente destruída.

Segundo o piloto, uma pane no motor teria causado a queda. Ele conta que o avião foi perdendo altitude até cair na mata.

Piloto diz que pane de motor provocou queda de avião em MS
Uma pane no motor provocou a queda do avião Cessna, previxo ZP-VCQ, na tarde ontem, na fazenda Quebracho, na região de Porto Murtinho. A informação foi do piloto paraguaio Francisco Xavier Aguero, de 32 anos, à Polícia Miltar.

No avião, ainda estavam os brasileiros William Martins Spence, de 39 anos, André Alves Outeiro, de 31 anos, o irlandês Sean Paul Preston , de 31 anos e o búlgaro Mirchev Mircho Stayanov, de 38 anos.

Depois que o avião caiu, eles foram socorridos por fazendeiros, Corpo de Bombeiros, Polícias Militar e Civil.

Segundo informações da PM, o avião ficou bastante danificado com a queda, porém nenhuma pessoa ficou gravemente ferida.

8 de nov de 2010

Infográfico especial sobre o avião presidencial


CLIQUE NA IMAGEM PARA ACESSAR
Em agosto passado, colocamos no ar uma enquete perguntando aos leitores do Blog do Planalto qual tema gostariam de ver esmiuçado num infográfico, entre quatro opções: avião presidencial, Palácio da Alvorada, Granja do Torto e Palácio Jaburu. O avião ganhou com certa folga, tendo 52% dos quase 500 votos. Pois então, com vocês, o nosso infográfico especial sobre o Airbus A-319 CJ, avião que desde 2005 serve à Presidência da República.

Batizado como Santos Dumont, em homenagem ao patrono da aviação brasileira que fez história ao se tornar o primeiro homem a voar em um aparelho mais pesado que o ar – o lendário 14-Bis – em 23 de outubro de 1906, o Airbus da Presidência da República é um gabinete com asas, de onde o presidente pode exercer suas funções durante as viagens. O avião tem instalações especiais, equipamentos de comunicação por satélite à prova de interceptações, computadores e telefonia móvel.

5 de nov de 2010

Avião cai em Cuba e as 68 pessoas a bordo morrem

HAVANA - Um avião da companhia aérea cubana Aerocaribbean caiu na noite desta quinta-feira (4/11) em uma zona agreste do centro de Cuba. Todos os 68 passageiros, entre eles 28 estrangeiros, perderam a vida, de acordo com o site Cubadebate.cu.

Os estrangeiros mortos são nove argentinos, sete mexicanos, um venezuelano, três holandeses, dois alemães, dois austríacos, um francês, um espanhol, um italiano e um japonês, segundo um comunicado do Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba.

A aeronave caiu na região de Guasimal, província de Sancti Spíritus, com 61 passageiros e sete tripulantes a bordo, quando fazia a rota entre a cidade de Santiago de Cuba e Havana.

As forças de socorro retiraram os primeiros corpos entre os restos do avião, que se encontravam em chamas numa zona de difícil acesso.O aparelho, um ATR-72-212 construído pela sociedade franco-italiana Avions de Transports Régional, informou sobre "uma situação de emergência" e perdeu contato com o serviço de controle de tráfego aéreo antes de cair.As autoridades aeronáuticas iniciaram uma investigação para determinar as causas do acidente.

"Neste momento, as autoridades aeronáuticas e regionais estão apurando detalhes, e foi criada uma comissão para investigar o acidente".O comunicado oficial não revela se, no momento da queda, prevalecia o mau tempo na região, de onde se aproxima a tormenta tropical Tomas, colocando a ilha em estado de alerta.

Vizinhos do local, a mais de 30 km da capital da província, afirmaram que o avião fez vários movimentos bruscos antes de cair em terra, segundo o jornal local Escambray.

Em função da passagem iminente do furacão Tomas, a companhia aérea Cubana de Aviación cancelou todos os voos para Santiago de Cuba e Guantánamo. O ministério do Transporte também anunciou a suspensão das viagens de ônibus e trem para essas duas províncias enquanto o clima não melhorar.

O último acidente aéreo em Cuba ocorreu em março de 2002, quando um avião menor caiu na província central de Villa Clara, matando as 16 pessoas, incluindo seis turistas canadenses, quatro britânicos e dois alemães, além dos quatro tripulantes cubanos.

O acidente aéreo mais grave das últimas três décadas ocorreu em setembro de 1989, quando um Il-62 com destino a Milão caiu em Havana logo após decolar, matando as 115 pessoas a bordo (dois cubanos e 113 turistas italianos) e 40 em terra, atingida por destroços.

Pista do aeroporto de Rio Branco cede em decolagem


A falta de estrutura do aeroporto de Rio Branco ocasionou, por volta das 13h de ontem (3), o rompimento de um pedaço da pista durante a decolagem do avião da Gol, que saía da capital com destino a Cruzeiro do Sul. Embora o incidente não tenha deixado vítimas, causou transtornos aos passageiros.

De acordo com o superintendente da Infraero, Daniel Sobrinho, o rompimento ocorreu por conta da turbina do avião. Ele explica que o sopro da turbina contra o solo fez arrancar uma placa de pavimento da pista.

Ele garante ainda, que o pedaço retirado já foi recomposto e não prejudicará os demais pousos e decolagens. O transtorno não atrasou os horários dos voos.

Não é a primeira vez que a desgastada pista provoca incidentes dessa natureza. Em abril deste ano, um avião Airbus A319 da empresa TAM afundou o trem de pouso no asfalto.

Reforma

A pista do aeroporto de Rio Branco tem pouco mais de dez anos de atividade, mas as complicações que possui são semelhantes a uma pista de aproximadamente 30 anos (tempo de vida útil), correndo o risco de ser interditado.

Para impedir isso, desde o primeiro semestre deste ano, a pista vem passando por uma grande recuperação por parte dos militares do 7º Batalhão de Engenharia de Construção.

A finalidade é reforçar a estrutura da pista e evitar que se desgaste tão rápido. Será colocada uma espécie de tela de reforço, que na engenharia leva o nome de geogrelha.

O sistema de drenagem será reforçado para evitar o acúmulo de água e sua consequente infiltração no asfalto. A reforma custa em torno de R$ 28 milhões.

O solo da pista é considerado como expansivo e contribui diretamente no desgaste da área destinada para os pousos e decolagens das aeronaves, reduzindo seu tempo de vida útil.

Com a reforma, a pista seguirá todos os padrões e normas para garantir o mesmo tempo de vida útil, no caso 30 anos.

Fonte: Portal Amazônia com informações do A Tribuna

4 de nov de 2010

Helicóptero faz pouso forçado no Campo de Marte em São Paulo


O helicóptero modelo Robinson 22 que caiu na manhã desta quinta-feira (4) no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, foi retirado da pista por volta de 10h50, segundo informou a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária). O aeroporto que recebe essas aeronaves e aviões de pequeno porte já funcionava normalmente por volta de 11h20.

A aeronave, que pertence a uma escola de aviação, foi levada para um hangar.

O instrutor e um aluno estavam na aeronave, que taxiava na pista no momento da queda. Os dois sofreram ferimentos leves, foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e levados para o hospital de Santana, também na zona norte.

Ainda segundo a Infraero, quatro equipes do Corpo de Bombeiros foram ao local após receberem um chamado às 8h55.

VEJA O VÍDEO:

Airbus A380 da Qantas faz pouso de emergência em Cingapura



Aeronave teve um problema técnico ao sobrevoar a indonésia.

Manobra não deixou feridos.

O Airbus A380-842, prefixo VH-OQA, da empresa australiana Qantas, registrou uma avaria no espaço aéreo da Indonésia logo após a decolagem e teve que realizar um pouso de emergência em Cingapura nesta quinta-feira (4) pela manhã (horário local, madrugada no Brasil), informou o ministério do Exterior da Austrália.

O avião, com 443 passageiros e 26 tripulantes, teve um problema técnico ao sobrevoar a ilha de Batam, confirmaram autoridades da Indonésia. O motor nº2 (Trent 970, interior esquerdo) emitiu um forte estrondo e parte de sua cobertura se desprendeu.

Segundo a agência de notícias France Presse (AFP), fumaça saiu da parte inferior da aeronave pouco depois do pouso emergencial. O avião foi cercado por seis caminhões do Corpo de Bombeiros, que usaram um produto químico para resfriar uma turbina.

O governo australiano informou que nenhum passageiro ou integrante da tripulação se feriu durante a manobra emergencial. Não houve tumulto durante o esvaziamento da aeronave.

“O avião aterrissou sem incidentes no Aeroporto Changi, e nenhum passageiro nem tripulante ficou ferido”, afirmou um comunicado do Ministério de Relações Exteriores.

De acordo com a imprensa indonésia, uma pequena explosão chegou a jogar fragmentos do avião no espaço aéreo da Indonésia. Pouco depois, o avião começou a despejar combustível para fazer a aterrissagem forçada, informou Tatang Kurnia, chefe do Conselho de Segurança de Transporte da Indonésia.

A aeronave iria realizar o voo QF-32 de Cingapura para Sydney, na Australia. Seis minutos após a decolagem ocorreu o acidente. O avião despejou parte de seu combustível antes de realizar o pouso de emergência duas horas após a partida.

O comandante Paulo Medina e o apresentador Gabriel Moojen se aventuraram pelo céu da Cidade Maravilhosa.

3 de nov de 2010

Avião sai da pista na Indonésia





Um avião de passageiros da Lion Air ultrapassou a pista do Aeroporto Supadio (PNK/ WIOO), em Pontianak, West Kalimantan, na Indonésia, e parou após o final da pista 33 nesta terça-feira (2). Não há relatos de feridos.

O Boeing 737-4Y0, prefixo PK-LIQ, finalizava o voo JT-712 - de Jacarta para Pontianak - transportando 169 passageiros e 6 tripulantes.

Um passageiro identificado como Tomi disse a agência estatal de notícias Antara que o avião balançou três vezes a menos de 15 minutos antes da aterrissagem. Os passageiros não suspeitaram que houvesse algo errado, até porque a tripulação não fez nenhum anúncio.

"Nós pensamos que era apenas por causa do mau tempo", afirmou Tomi. "Começamos a nos preocupar quando o avião tocou a pista. Eu vi pela janela que o avião não estava estável."

Outro passageiro, Priosuprantono, disse que o avião balançou forte antes de chegar a a parar após o final da pista às 11:25 (hora local).

"Quando o avião parou, os passageiros entraram em pânico. Tínhamos medo de que coisas piores que iriam acontecer. Ainda assim, nenhum dos assistentes de voo ou o capitão disse nada", disse ele.

Os passageiros assustados não foram capazes de escapar da aeronave, porque nenhuma das portas se abriram, disse ele, acrescentando que eles finalmente conseguiram sair da aeronave quando um passageiro abriu uma saída de emergência.

"Alguns de nós saltaram para fora do avião em pânico", disse Prio.

Indra Rosadi, também a bordo do avião, disse que os passageiros foram evacuados por militares estacionados no aeroporto.

"Nós pousamos no meio de um campo, a 20 metros da pista", disse Indra.

O National Transportation Safety Committee (KNKT) confirmou o acidente, dizendo que o mau tempo não foi provavelmente um fator. "Não se pode culpar o tempo ou a chuva," disse Masruri, um oficial da KNKT.

Edward Sirait, um porta-voz da Lion Air, disse ao 'Jakarta Globe' que não houve aviso prévio para o pouso porque o alerta de "apertar o cinto" havia sido ativado. Ele descreveu a aterrissagem como "normal", mas por razões desconhecidas, o avião não pode parar.

Questionado sobre a falta de informações transmitidas aos passageiros após o pouso forçado, ele disse que não poderia comentar.

"As saídas de emergência podem ser abertas pelos passageiros, não só pelos comissários de bordo. Por isso nós não permitimos que crianças ou passageiros fisicamente incapazes sentem-se perto das saídas de emergência."

O avião tinha um histórico de boa manutenção, acrescentou.

Ele disse que não acredita que o incidente estava relacionado com a erupção do Monte Merapi, em Java.

O KNKT está investigando o acidente, o último a atingir a indústria aérea indonésia.

Mais tarde, foi informado que o piloto foi suspenso.

Avião faz pouso forçado e dois ficam feridos no Pará


A aeronave Piper PA-31 Turbo Navajo, prefixo PT-DBM (foto acima), realizou um pouso forçado na cidade de Oriximiná, no Pará. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), responsável pelo resgate dos dois tripulantes, que tiveram ferimentos leves, a aeronave realizava aerolevantamento (produção de mapas com fotos aéreas) nas proximidades da região de Porto Trombetas quando teve de pousar em razão de uma pane no motor e de pouco combustível, na tarde de domingo (31/10).

O pouso forçado foi comunicado ao Controle de Tráfego de Santarém, no Pará, por volta das 14h30m, no horário local.

A operação de resgate contou com apoio por terra conduzido pelo Cindacta 4, em Manaus (AM), que informou o sinal eletrônico emitido pelo avião acidentado via satélite, e uma equipe especializada em busca e resgate da FAB foi avisada e realizou o resgate com um helicóptero H-60 Black Hawk.

Há a informação que, antes do resgate - de acordo com a FAB - um dos tripulantes da aeronave conseguiu entrar em contato com o Controle de Tráfego de Santarém via telefone satelital dizendo que estavam próximos às margens do Lago Erepecu.

Segundo depoimento de um dos pilotos à FAB, o pouso forçado no leito do rio encontrou um poço no trajeto, o que provocou o afundamento do nariz do avião e levantamento da cauda. O parabrisas quebrou e os ocupantes foram atingidos pela lama, inclusive nos olhos. Quando o resgate chegou - cerca de uma hora e meia após o acidente - eles não conseguiam enxergar o helicóptero de salvamento, apenas ouvi-lo.

De acordo com a FAB, os dois pilotos acidentados faziam um aerolevantamento, tirando fotos aéreas para formulação de mapas. Eles sofreram alguns cortes e tinham lama nos olhos e foram encaminhados a um hospital local, mas liberados em seguida.

Os tripulantes, os pilotos civis Roberto Busellato e Paulo Zarutzki , receberam os primeiros socorros no local do acidente e seguiram no helicóptero para Porto Trombetas, onde foram atendidos por uma equipe médica.

- Nascemos de novo. Não víamos direito. Só ouvimos o barulho do helicóptero porque nossos olhos estavam enlameados. O pessoal do resgate salvou a nossa vida - disse Busellato.

Os dois resgatados, segundo a FAB, têm dois filhos cada um e voltam nesta semana para Curitiba, onde moram.

1 de nov de 2010

23/10 em Luziânia...SWUZ...dia do Aviador!